Ministros de Estado têm direito a passaporte diplomático e Weintraub foi beneficiado com o documento em julho de 2019.

Demitido de forma humilhante do MEC (Ministério da Educação) na quinta-feira (18), Abraham Weintraub viajou ainda nesta sexta (19) para os Estados Unidos. De acordo com a assessoria de imprensa do MEC, Weintraub já se encontra em Miami. Como sua exoneração ainda não foi oficializada, ele pode ter usado o passaporte diplomático para fugir do Brasil e evitar uma prisão cada mais cogitada.

Ele deixou o país no mesmo dia em que o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) protocolou no STF (Supremo Tribunal Federal) um pedido de apreensão do passaporte de Weintraub para evitar que ele saísse do país. Alvo do inquérito das fake news, que tramita no Supremo, Weintraub também é investigado no tribunal por racismo, por ter publicado um comentário injurioso sobre a China.

Integrantes do Judiciário já diziam, nos bastidores, acreditar que Weintraub poderia ser preso, o que vinha preocupando o ministro. Em mensagem publicada no Twitter neste sábado, a localização de Weintraub aparece em Miami. “As coisas aconteceram muito rapidamente”, escreveu o ministro em resposta a um seguidor.

O irmão do ministro, Arthur Weintraub – que é assessor especial da Presidência –, também fez publicação nas redes sociais em que afirma que o ministro demitido está fora do país. “Obrigado a todos pelas orações e apoio. Meu irmão está nos EUA”, escreveu o irmão.

Ao anunciar a saída do MEC, ao lado de Bolsonaro, Weintraub disse que sairia do País para assumir uma posição no Banco Mundial. A indicação para a vaga, entretanto, ainda não foi efetivada. “Estou saindo do Brasil o mais rápido possível (poucos dias)”, tuitou o ministro nesta sexta-feira.

Bolsonaro demitiu Weintraub após desgaste com o STF. De forma criminosa, Weintraub defendeu a prisão dos ministros da corte em reunião ministerial de 22 de abril e reafirmou posteriormente seu posicionamento em encontro com manifestantes favoráveis ao governo.

Ministros de Estado têm direito a passaporte diplomático e Weintraub foi beneficiado com o documento em julho de 2019, segundo informações do Ministério das Relações Exteriores. Não há informação oficial se ele fez uso desse passaporte e se viajou com a família.

Com informações da Folha de S.Paulo

Leia também:

MPF intima Flávio Bolsonaro a depor: saiba o que apontam as investigações

 

Governo exonera Weintraub após ex-ministro chegar aos EUA