No blog “Diálogo a Fundo”, especialistas afirmam que ação rápida do governo, sistema de saúde eficaz e testagem precoce ajudaram o país na contenção do vírus; o bom resultado permitiu que 250 mil alunos retornassem às aulas em 29 de junho; desde maio, Uruguai tem menos de 10 novos casos por dia.

O “segredo do sucesso do Uruguai contra a Covid-19”. Este é o título de um artigo de opinião, publicado no blog do Fundo Monetário Internacional, FMI, nesta segunda-feira.

As economistas Natasha Che e S. Pelin Berkmen, que assinam o artigo, afirmam que o Uruguai tomou as medidas certas que levaram aos baixos níveis de contaminação. Desde maio, o país sul-americano registra menos de 10 novos casos por dia.

Tendência contraria o movimento da curva da Covid-19 na América Latina, que se tornou o epicentro da pandemia. Foto: © Unicef/Yareidy Perdomo

Faixa etária

A tendência contraria o movimento da curva da Covid-19 na América Latina, que se tornou o epicentro da pandemia, segundo a Organização Mundial da Saúde, OMS.

Para as economistas do FMI, o governo do Uruguai agiu rápido ao anunciar uma emergência nacional, cancelar eventos públicos, fechar as fronteiras e impor quarentena obrigatória a todos os viajantes de países com números altos da infecção. Essas medidas foram tomadas duas semanas antes de os primeiros casos serem notificados no país, o que ocorreu em meados de março.

Uma das maiores preocupações das autoridades era com cidadãos de mais de 65 anos de idade, considerados população de risco. O Uruguai é o país com maior número de pessoas nessa faixa etária, na América Latina.

Assista ao vídeo com o depoimento do infectologista Marcelo Costa que vive em Montevidéu desde 2019.

Campanhas

Por causa do bom resultado, 250 mil alunos puderam retornar às aulas em 29 de junho.

O país jamais decretou o confinamento obrigatório. Para as especialistas, o sucesso das medidas de contenção do vírus é resultado de um pacote de medidas levadas a cabo. Entre elas, uma campanha de conscientização sobre higiene e cuidados de saúde. Logo no início, o governo uruguaio formou um conselho de médicos e cientistas que coordenou ações com o setor privado. O acesso às escolas e shoppings centers foi fechado pelo governo federal, que iniciou testagem e rastreamento para evitar a propagação da Covid-19.

As autoridades locais também incentivaram o uso de máscaras, um dos primeiros países da América Latina a fazê-lo, e na área de comunicação, os uruguaios contam com atualizações diárias e um aplicativo de celular para se manterem informados.

O FMI ressalta que o “aplicativo móvel Coronavírus UY permite o monitoramento de casos e emite alertas se o usuário entrar em contato próximo com pessoas que testaram positivo.”

Pnud Uruguai/Pablo La Ros
Por causa do bom resultado, 250 mil alunos puderam retornar às aulas em 29 de junho.

Confiança no governo

Um outro aspecto evidenciado pelo blog para o “sucesso uruguaio no combate à Covid-19” é “o elevado nível de coesão social e confiança no governo garantiu um apoio generalizado às medidas de contenção e um alto grau de penetração das campanhas incentivando as pessoas a trabalhar de casa e as empresas a fechar as portas.”

A medida teve amplo apoio dos empresários e empregadores incluindo do setor do turismo, uma importante fonte de renda para o país. O Parlamento também aderiu aprovando a criação do Fundo Coronavírus que levou recursos para combater a pandemia com uma prestação de contas transparente.

Unicef/UN0343152/Pazos
Desde maio, Uruguai tem menos de 10 novos casos por dia.

Políticos reduziram seus salários

Para ajudar, o presidente do país, integrantes do gabinete e funcionários públicos de alto escalão decidiram reduzir seus salários para financiar o fundo, que também contou com apoio de todos os partidos políticos uruguaios.

O blog finaliza lembrando que a assistência médica de qualidade no Uruguai, onde a saúde representa mais de 20% dos gastos do governo contra a média de 12% da América Latina tem disso fundamental para controlar o novo coronavírus.

Um outro pilar foi o auxílio desemprego para socorrer os trabalhadores afetados pelas consequências econômicas da pandemia. Para as autoras do artigo, a baixa densidade populacional, especialmente na capital uruguaia Montevidéu também ajudou a manter o vírus sob controle.

Fonte: ONU News