Assessora  do vereador paulista Fernando Holiday do MBL, movimento que apoiou a eleição do presidente, expõe vulnerabilidade de Bolsonaro a críticas.


A mulher que, na manhã desta quarta-feira (10/6), afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) havia “traído a população” e acabou sendo expulsa da área destinada a apoiadores do presidente na saída do Palácio da Alvorada, trabalha como assessora do vereador de São Paulo e coordenador do Movimento Brasil Livre (MBL) Fernando Holiday que trocou o DEM pelo Patriota.

Na fala a Bolsonaro, a mulher se identifica como a youtuber Cris Bernart. “Eu votei no senhor, eu fiz campanha para o senhor, acho até que o senhor me conhece. Canal Cris Bernart. Eu sinto que o senhor traiu nossa população”, afirmou, antes de o presidente pedir que ela deixasse o local.

Confira abaixo o vídeo “Cercadinho em chamas”, do jornalista Luiz Carlos Azenha, do Viomundo:

 

Nas redes sociais, Holiday elogiou ação da assessora.

“A Cris Bernart falou o que está entalado na garganta de todo brasileiro. E Bolsonaro agiu como um verdadeiro covarde, como alguém que só consegue falar dentro de casa”, disse. O MBL também exaltou a atitude: “Hoje a Cris Bernart foi até o Palácio da Alvorada cobrar a irresponsabilidade de Bolsonaro na pandemia, mas o Presidente da República não quis saber de dar satisfações. Já são quase 40 mil mortos.

MBL apoiou impeachment e trocou Dória por Bolsonaro

Matéria do jornal O Tempo: “Aliados começam a trocar tucano por Jair Bolsonaro” de Minas  Gerais, de 17 de outubro de 2017, registra que o  MBL, importante apoiador nas redes sociais do então prefeito de São Paulo João Doria, passou a dedicar mais espaços para elogiar o então deputado federal Jair Bolsonaro um ano antes do início do processo eleitoral

Segundo disse na matéria  o vereador paulistano Fernando Holiday (DEM), um dos líderes do grupo: “Bolsonaro tem dado declarações que convergem com o que defendemos”, diz o vereador. Ao mesmo tempo Doria “tem se afastado”.

Em 2016, o  MBL que se dizia apartidário, havia se engajado no processo de impeachment da presidenta Dilma Roussef. Ao final do processo, os seus líderes se candidataram pelo DEM. Holiday foi eleito vereador em São Paulo e Kim Kataguiri, deputado federal também pelo DEM em 2018.

Viomundo: Bolsonaro está vulnerável

O Viomundo, site do jornalista Luiz Carlos Azenha, considera que o resultado mais concreto do questionamento feito hoje ao presidente Jair Bolsonaro em Brasília por uma de suas eleitoras em 2018 é que a segurança terá de fazer triagem ideológica das pessoas que tentam conversar com o mandatário no cercadinho do Palácio da Alvorada.

Em outras palavras, o “cercadinho” ruiu.

Quem questionou Bolsonaro sobre as negociações dele com o Centrão e as 38 mil mortes por coronavírus foi a atriz e candidata a vereadora Cris Bernart, que votou nele em 2018 (ver o vídeo).

Bolsonaristas foram às redes denunciar que o presidente foi vítima de uma armadilha, mas este parece ter sido exatamente o objetivo da atriz: acabar com o sossego do mandatário em um espaço em que ele praticamente nunca foi seriamente questionado.

Foram ameaças de apoiadores, aliás, que fizeram veículos de comunicação como a Globo e a Folha retirarem seus profissionais das cercanias.

No dia 4 a atriz havia postado um textão no Facebook explicando sua posição como eleitora de Bolsonaro:

Não me arrependo do apoio ao Bolsonaro, não tínhamos escolha e eu acreditei que seria uma nova era. Chorei na eleição, bebi, comemorei, dei entrevista, me emocionei… Me iludi, me decepcionei! Hoje não vejo o resultado que achei que teríamos (principalmente conchavos que ele tanto criticava na campanha e mudanças absurdas de ministérios)

Com informações do Viomundo e do jornal O Tempo