Motorino abre as portas no próximo sábado com quatro scooters em estilo vintage, mas com as vantagens tecnológicas do século XXI.

Quando Chuck Berry e Bill Haley cantaram as primeiras notas do que viria a ser c onhecido como rock ´n roll, moças e rapazes passaram a se vestir com roupas de couro e cortar as ruas em motocicletas e lambretas, para marcar um estilo de vida rebelde.

No Brasil a Lambretta marcou gerações de jovens que tinham nesta scooter um veículo moderno, robusto e seguro para o ir e vir no trabalho e nos embalos de sábado à noite. A produção da Lambretta  começou na Itália em 1947 e chegou ao Brasil em  1958, no bairro da Lapa em São Paulo. Entre 1958 a 1960 chegaram a ser fabricadas 50 mil delas por ano. Na metade dos anos 1970 a produção foi paralisada.

Um dos pontos fortes da Lambretta era a boa estabilidade devido ao baixo centro de gravidade proporcionado pelo motor próximo à roda traseira. O motor 2 tempos tinha boa refrigeração mesmo em marcha lenta, proporcionada por uma ventoinha.

Em 2018 a Lambretta retornou ao Brasil trazida pela Motorino e distribuída para todo o país.

 

Loja em Goiânia

Loja-conceito da marca chega a Goiânia  abre oficialmente sábado que vem, dia 6 de julho, às 9 horas. São quatro modelos de scooters que vão trazer o design retrô de volta às ruas, com as vantagens da tecnologia atual.

Com a inauguração da loja-conceito da Motorino e Lambretta em Goiânia, pessoas de todas as idades também poderão fazer sucesso nas ruas feito o senhor Fróes. A diferença é que vão pilotar scooters de visual clássico, dotadas de recursos tecnológicos avançados, como câmbio automático.

Nostalgia

A bordo da Lambretta branca de 1974, o mecânico José Israel Fróes, de 82 anos, chama a atenção no trânsito de Aparecida de Goiânia, onde mora, e na capital.

“Tive todos os modelos”, lembra, enquanto cantarola um refrão da música Lacinho Cor-de-Rosa: “Ele usa #Lambretta e é tão veloz! Se passa na corrida eu perco a voz…”

Quando soube da novidade, Fróes disse que quer fazer um test drive, serviço disponível na loja de Goiânia para os quatro modelos à venda (Lambretta V200 Special, Cappuccino, Velvet e Velocette). A unidade é a primeira do projeto de expansão da Motorino, empresa de Curitiba (PR), única autorizada no País a importar a Lambretta.

Os proprietários, Alexander Maia, de 39 anos, e Larissa Testolin, de 36, apostaram nas scooters em estilo retrô para uma cidade com clima e terreno favoráveis. “Nós nos apaixonamos pelos modelos”, conta Larissa. Ela deixou o Direito para se dedicar à loja, que também oferece assistência técnica. “Quem comprar já sabe que não estará sozinho, caso precise”, explica.

 

Investimento

O empreendimento chega com três modelos de scooter da Motorino e um da Lambretta, com preços que variam entre R$ 15,3 mil e R$ 26,9 mil. “É um produto útil e de qualidade que justifica o investimento”, garante Larissa. Ela acredita que o nicho de mercado com que escolheu trabalhar atinge um público com idade variada, que vai de 25 a 60 anos. “Além do design eterno, carrega a força de uma marca mundialmente conhecida, que é a Lambretta”, destaca.

Serviço:

Evento: café da manhã de inauguração da loja Motorino

Quando: dia 6 de julho de 2019, às 9 horas

Onde: Avenida T-9, 1.824, loja 3, Jardim América

Telefones: (62) 3642-1200 e 99421-8668

Imagens e informações técnicas sobre as scooters e as marcas Motorino e Lambretta estão disponíveis no site www.motorino.com.br