Em entrevista ao jornal O Globo , o hematólogo Dimas Covas alerta para a falta de centralidade no combate ao coronavírus.

O Conversa Afiada reproduziu as preocupações de Dimas:

Em plena fase de preparação para testar vacina contra o coronavírus, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirma que uma nova quarentena, nas cidades onde foi feita flexibilização do isolamento, pode não ter a mesma eficácia. Segundo ele, quando o vírus volta a circular, a taxa de transmissão cresce rapidamente. Porém, quando a quarentena é retomada, o vírus demora a ser contido. Para Covas, a disputa política em torno da pandemia no Brasil é inusitada, atrapalha, e a campanha feita por bolsonaristas contra a vacina a ser testada pelo instituto em parceria com a empresa chinesa Sinovac “não tem o menor sentido”.

 

De quem é a responsabilidade?

É de todo mundo. O prefeito tem que fazer sua parte, mas o principal é que temos de atuar como sociedade. O comerciante está sofrendo com prejuízo. As pessoas em suas casas se sentem impotentes: como fazer o vizinho entender que ele tem que fazer a parte dele? Há uma discussão sobre a liberdade de cada um, mas vejam a quantidade de pessoas que estão morrendo. São mais de 40 mil, mais gente do que a população da maioria das cidades brasileiras. A gravidade da pandemia não foi compreendida.

Em tempo: O Instituto Butantan é um dos maiores laboratórios públicos do país ao lado do Fiocruz e Farmanguinhos, que produzem a maioria das vacinas aplicadas no Brasil

Fonte: O Globo

Edição: Conversa Afiada

 

Leia também no conversa Afiada: