O presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), disse já estar provado que Jair Bolsonaro cometeu o crime de prevaricação, ao não tomar qualquer providência após receber as denúncias de corrupção no caso Covaxin.

“Isso não é indício. Isso é um fato. Ele não desmente. Ele não encaminhou (a denúncia) para a Polícia Federal. A Polícia Federal abriu nessa quarta-feira esse inquérito. Depois de quantos meses? É um fato. Ele não encaminhou nem para a CGU nem para a Abin. É um fato, frisa.

“E o deputado Luis Miranda ainda disse: ‘Eu espero que ele não me desminta, porque senão…’. É um fato. Ele teve a oportunidade de encaminhar para a Polícia Federal ou para o Ministério da Saúde. Aí inventaram que deram (o aviso) para o ministro (Eduardo) Pazuello, que sai dois dias depois (da Saúde). Pazuello já sabia que seria exonerado, porque ninguém é exonerado no dia. E o coronel Elcio Franco (ex-secretário executivo da Saúde) também já ia no bolo. Então, nenhum dos dois investigou nada. Não falou nada. Isso incomoda o Bolsonaro”, observa.

Aziz ressalta que Bolsonaro  recebeu na residência oficial um deputado federal da base dele, que levou essas denúncias, e ele não tomou providência. Qualquer servidor público diria que é prevaricação”, completou Aziz, em entrevista ao jornal O Globo, concedida a Julia Lindner e Natália Portinari.

 

Com informações do Brasil 247