Pesquisadora concorda com o neurocientista brasileiro  Miguel Nicolelis e defende um lockdown nacional urgente de 15 dias de duração.

Do Brasil 247

A pneumologista Margareth Dalcolmo, professora e pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, tornou-se uma referência da medicina e da ciência brasileira na pandemia do coronavírus. E ela está muito preocupada: “E agora eu não tenho dúvida de que teremos o mais triste março de nossas vidas. Isso é resultado do Carnaval e do descompasso entre o que nós, cientistas, dizemos, e o que as autoridades afirmam. Nos últimos dias, ouvimos que não é pra usar máscaras. Não há dúvidas, está demonstrado que a máscara é uma barreira mecânica que protege quem usa e todo mundo ao redor”.

Ela se somou ao apelo do cientista Miguel Nicolelis por um lockdown nacional: “Estou totalmente de acordo com o professor Miguel Nicolelis, que em entrevistas recentes disse que o Brasil precisaria de um lockdown de duas semanas bastante rígido para interceptar as cadeias de transmissão do coronavírus”.

Margareth Dalcolmo, concedeu uma entrevista a André Biernath, da BBC News Brasil num momento em que a pandemia mostra a sua pior face no país -até agora. De acordo com dados das secretarias estaduais de saúde, 17 estados têm ocupação em hospitais acima de 80%, um nível considerado crítico. Outros oitos estados têm taxas que superam os 90% — no Rio Grande do Sul, por exemplo, o número chegou a 100%

 

CLIQUE AQUI E LEIA A ÍNTEGRA DA ENTREVISTA NA BBC