Na contramão da crise econômica causada pela pandemia do coronavírus, Aparecida de Goiânia encerra 2020 com números positivos na geração de empregos e abertura de novas empresas. Os dados divulgados pela Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz) e Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg) apontam que mesmo em um ano atípico a economia da cidade não foi abalada, ao contrário, cresceu em relação ao ano anterior.

Neste ano, entre janeiro e novembro, Aparecida atraiu 1.281 novas empresas. O número é 2,65% maior em relação ao mesmo período de 2019.

“Apesar dessa pandemia, nós acreditamos que quando o IBGE divulgar os números (PIB), nós devemos ter um crescimento na casa dos 10%”, projeta o secretário da Fazenda, André Luís Rosa, ao avaliar o desempenho da economia local neste ano.

Alguns fatores como a localização no centro do país, permitindo escoamento da produção para diversas regiões do país, e consolidação de diversos polos industriais e de serviços justificam a chegada de novos investidores. Segundo André Rosa, a gestão municipal tem criado mecanismos para facilitar o dia a dia do empreendedor na cidade.

“Aparecida tem construído uma relação muito propositiva com o empresariado. Nós entendemos que o empresário é um parceiro da administração porque é ele quem gera emprego e renda no município. Nossa administração tem tentado e buscado desburocratizar as ações, facilitando a vida do empresário porque a única coisa que ele quer é condições para trabalhar e Aparecida vem dando essas condições”, destaca.

Ainda de acordo com o secretário, outro fator que atraí novos investidores é a diversidade das atividades econômicas seja na indústria, comércio ou prestação de serviços. A infraestrutura encontrada nos polos também desperta interesse naqueles que chegam para investir na cidade.

“Nossa matriz econômica, nos polos industriais, é altamente diversificada e isso gera uma vantagem competitiva ao município. Quando uma atividade ou um grupo econômico vai mal os outros vão bem, e com isso gera maior competitividade. Então qualquer empresa que chega vai encontrar uma diversidade de empresas para gerar mais negócios e um terreno fértil para que possa prosperar”, aponta.

Empregos

Junto com a abertura de novas empresas Aparecida comemora ainda a geração e manutenção de empregos formais. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em 2020, foram contratados mais de 44 mil trabalhadores com carteira assinada. Com isso, a cidade encerra o ano com mais de 102 mil trabalhadores registrados.

“No primeiro semestre, perdemos diversos postos de empregos justamente por causa da pandemia, mas nos últimos quatro meses conseguimos equilibrar os dados entre contratações e demissões com a abertura de 3.937 novas vagas de trabalho. Aparecida vai muito bem graças ao trabalho e ao esforço do nosso povo e do empresariado”, pontua André Rosa.

Destaque

“Nos últimos anos, nossa cidade vem ganhando destaque no cenário nacional e isso graças ao trabalho planejado da administração que vem criando meios de facilitar a vida do empresário. Os incentivos também são fatores que contribuem para encerrarmos esse ano com números favoráveis”, explica o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marlúcio Pereira, que destacou também o trabalho do prefeito Gustavo Mendanha e atrair empresas para o município

Os números favoráveis da economia colocam Aparecida entre as cidades mais competitivas do Brasil e de Goiás. Segundo último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), o município é 78ª no ranking nacional dos maiores PIB’s. No cenário estadual, ocupa a terceira colocação no ranking das cidades mais ricas sendo responsável por 6,8% de toda riqueza produzida em Goiás.

Refis

Aprovado pela Câmara de Vereadores, o Projeto de Lei Complementar nº 133/2017 de autoria do Poder Executivo, que institui o Programa de Recuperação Fiscal (Refis), oferece condições especias para o contribuinte inadimplente, pessoa física ou jurídica, regularizar débitos com a Prefeitura de Aparecida de Goiânia. A programação, que faz parte da Semana Nacional de Conciliação, teve início nesta segunda-feira, 27, e será encerrada no dia 8 de dezembro.

O Refis oferece até 90% de desconto sobre multas e juros em impostos como IPTU, ITU, ITBI, ISS, taxas e contribuições de melhoria para pagamento à vista; 70% para parcelamento em até seis vezes; e 60% para quem optar em dividir de sete a 12 vezes. Em algumas situações, empresários e contribuintes poderão ainda quitar seus débitos em 36 meses.

“É uma oportunidade que a Prefeitura de Aparecida oferece aos empresários e contribuintes para regularizar suas contas junto ao município. Estando em dia com seus impostos e tributos, o cidadão tem condições de ter acesso a diversos financiamentos e ainda prestar serviço aos entes públicos”, destaca o secretário municipal da Fazenda, André Rosa.

Interessados em aderir ao Refis devem procurar o  SAC do Centro, Garavelo, Mansões Paraíso e Nova Cidade, Vapt Vupt Buriti e Araguaia Shopping, Loja de Atendimento Cidade Livre, Parque Flamboyant e Vila Brasília.  O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira das 8h às 18h. “Qualquer contribuinte, pessoa física ou jurídica, que tem algum débito com o município pode participar do Refis”, aponta André Rosa.

Os empresários e contribuintes que usufruírem dos benefícios do Refis 2017 ficarão impedidos de realizar novas negociações pelo período de 36 meses a partir da data de pagamento à vista ou da última parcela. “O programa não tem como objetivo incentivar o atraso de impostos, mas regularizar a situação dos contribuintes que por algum motivo estão com dívidas com o município”, alerta o secretário André Rosa.