A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Carmén Lúcia determinou a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifeste sobre o pedido de impeachment do ministro Paulo Guedes. Ela foi sorteada relatora do caso.

Da coluna de Bela Megale no jornal O Globo

Os deputados federais Kim Kataguiri (DEM-SP) e Elias Vaz (PSB-GO) levaram ao STF um pedido de afastamento de Guedes por ele não ter comparecido a uma reunião em uma comissão da Câmara para a qual foi convocado.

Impeachment

Elias Vaz (PSB) assinou o superpedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro protocolado na quarta-feira (30).

Vaz apontou três motivos principais para ter assinado o superpedido. O primeiro, as ameaças do presidente à democracia, num flerte constante do presidente com o fascismo.

O segundo, a gestão fracassada da pandemia.

“Bolsonaro está atentando contra a vida dos brasileiros ao agir de forma incompetente e cruel durante a pandemia, atrasando a compra da vacina e questionando a sua eficácia, estimulando que não sejam usadas máscaras e incentivando aglomerações. Uma conduta desastrosa”, assinala o parlamentar.

Por fim, o deputado cita os recentes escândalo de superfaturamento no contrato com a Covaxin e a denúncia de cobrança de propina para comprar vacina de um grupo empresarial. “Os indícios de corrupção são claros e graves. Não se brinca com vidas”.