A proposta, apresentada por ele quando era vereador e aprovada pela Câmara Municipal.

Em sabatina no Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Goiânia (Codese), o candidato Elias Vaz, da coligação Goiânia Merece Mais (PSB/PDT/Rede Sustentabilidade) defendeu a ocupação inteligente e sustentável da capital por meio do Projeto Urbanístico de Interesse Social

A proposta, apresentada por ele quando era vereador e aprovada pela Câmara Municipal, nunca foi aplicada pela prefeitura. 

O objetivo é oferecer incentivos para proprietários que derem uma função social para os lotes vagos, que passam de 100 mil em Goiânia.

Esses terrenos pagam uma alíquota mais alta, a do ITU, por estarem desocupados. A nossa ideia é incentivar que os donos façam parcerias com a prefeitura e ofereçam os lotes para espaços urbanos de convivência, como praças, parques infantis, quadras de esporte, e atividades econômicas sustentáveis, a exemplo de hortas comunitárias e de agricultura orgânica.” justifica. 

Segundo Elias, em contrapartida, os proprietários vão pagar alíquotas do IPTU, que são inferiores. “Tudo será feito em acordo com a prefeitura e sem a obrigação de ser uma obra permanente”, explicou Elias Vaz.

O candidato ressaltou a necessidade de uma visão mais global do desenvolvimento e da ocupação da cidade, com um olhar a longo prazo.

“No primeiro momento, o Município terá uma arrecadação menor pela mudança na alíquota, mas vai economizar na construção de praças e irá permitir a geração de emprego e renda com a agricultura orgânica. Além do mais, vamos garantir mais qualidade de vida à nossa população ”.