Em lives no Instagram, candidato da coligação “Goiânia Merece Mais” (PSB, PDT e Rede), firmou seus compromissos nas áreas de saúde, geração de emprego e mobilidade urbana.

O deputado federal Elias Vaz lançou, em uma série de lives no Instagram neste domingo (27), a candidatura a prefeito de Goiânia pela Coligação Goiânia Merece Mais, formada por PSB, PDT e Rede Sustentabilidade. “Nós não vamos fazer uma campanha milionária. O nosso foco principal é construir um plano com a participação popular, mas respeitando a questão sanitária. Não vamos colocar os eleitores em risco neste momento de pandemia”, explicou.

Elias passou por cinco pontos da cidade, representando os pilares da campanha: Educação, Transporte Público, Saúde, Geração de Emprego e Renda, Mobilidade Urbana e Desenvolvimento Sustentável. “Conheço bem os gargalos da cidade porque sempre vivi aqui e fui vereador por 18 anos. Outros candidatos conhecem o entorno, Senador Canedo, Aparecida de Goiânia… Mas quem conhece Goiânia sou eu”, ressaltou.

A candidatura foi lançada na Escola Municipal Rui Barbosa, onde Elias cursou o ensino fundamental. Ele lembrou do primeiro dia de aula, há 48 anos, e reforçou a importância de políticas públicas nessa área. Citou dados do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) que mostram uma realidade preocupante: apenas 37% dos estudantes goianienses alcançaram nível satisfatório em Língua Portuguesa e 15% em Matemática.

O candidato também resgatou a sua história de luta pelos profissionais da Educação e reforçou a importância do diálogo para desenvolver propostas realmente eficientes no Município. “Nós não vamos fazer como muitos candidatos, que compram um plano de governo e engavetam depois que ganham a eleição. O nosso objetivo é aperfeiçar as nossas propostas junto com a sociedade e é assim que também vamos administrar a nossa cidade”, afirmou.

Logo depois, Elias partiu para a Avenida Bernardo Sayão, na Fama, próximo à casa onde ele passou a infância e juventude e onde a mãe ainda reside. Mostrou a grande quantidade de placas de aluga-se, disse que a região foi negligenciada por muitas administrações e declarou que a prefeitura deve ser parceira dos comerciantes e empresários e desenvolver programas de geração de emprego e renda.

A terceira live foi realizada na entrada do Zoológico. Elias destacou a necessidade de discutir alternativas para a transferência do parque. Ele foi relator do Plano Diretor em vigor hoje na cidade e apresentou emenda para a mudança de endereço do Zoológico. “A medida foi aprovada pela Câmara, mas nenhum prefeito teve interesse de colocá-la em prática. Esse local é totalmente inadequado, a região é de grande adensamento, alta poluição sonora e prejudica de forma grave os animais”, contou aos seguidores da rede social.

Elias Vaz também esteve no terminal Padre Pelágio, na região noroeste de Goiânia, para falar sobre um tema que será prioridade na campanha: transporte coletivo. A proposta do candidato é transferir a arrecadação para o poder público, que deve remunerar as empresas por quilômetro rodado. “Vamos acabar com essa história de caixa-preta porque quem vai gerir o transporte é a prefeitura. Hoje, se tornou um problema das empresas com os usuários, o Município lava as mãos”.

Saúde

A última live foi direto do Ciams do Novo Horizonte, onde Elias falou sobre o trabalho como relator da Comissão Especial de Inquérito da Saúde de Goiânia, entre 2017 e 2018. O candidato denunciou na época uma série de irregularidades, como superfaturamento na manutenção de ambulâncias pouco depois abandonadas como sucata no pátio da prefeitura, falta de médicos nos plantões e ainda a terceirização de atendimento de raio-X nas unidades do Município por valor milionário, enquanto havia equipamentos novos encaixotados por mais de dois anos no almoxarifado.

O candidato lembrou ainda que lei de autoria dele, aprovada pela Câmara, estabelece prazos para o atendimento na Saúde, como consultas, exames e cirurgias eletivas, mas foi suspensa por decreto do prefeito Iris Rezende. “Vamos retomar essa lei. A demora no atendimento, além de cruel, é burra porque aumenta os custos. Quanto mais cedo um problema é tratado, mais barato fica para o poder público e mais qualidade de vida o cidadão tem. A Saúde de Goiânia tem dois problemas principais: má gestão e corrupção. Essa situação vai mudar na nossa administração”, finalizou.