Bolsonaro, Guedes, cloroquina e falta de vacina quebraram empresas e reduziram a renda das famílias.

O Monitor do PIB-FGV, estimativa da instituição para o comportamento da atividade econômica, sinaliza retração de 4% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2020.

Os dados, divulgados  indicam que somente a agropecuária foi a única a apresentar crescimento (2%) entre os três grandes setores de atividade (agropecuária, indústria e serviços).

Além da produção, o indicador leva em conta fatores ligados à demanda, incluindo consumo das famílias, Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) e exportação e importação. Todos registraram retração no ano passado, com destaque para o consumo das famílias, que encolheu 5,2% no ano.

A FBCF, que sinaliza os investimentos que o país recebe, encolheu 2,9% em 2020 na comparação com 2019. O componente máquinas e equipamentos, que havia sido o que apresentou maior contribuição para o crescimento da FBCF ao longo de 2018 e 2019, foi o principal responsável pela retração do componente em 2020. Dentro de máquinas e equipamentos, o item que mais influenciou na queda foi automóveis, camionetas e utilitários.

A exportação retraiu 1,9% em 2020 na comparação com o ano anterior, enquanto as importações recuaram 10,3%. Os segmentos exportados que retraíram no ano foram os bens intermediários, os serviços e os bens de capital; com destaque para este último que recuou 33,5% no ano.

Já no caso das compras de produtos do exterior, à exceção da importação de produtos agropecuários, que cresceu 2,3% no período, todos os demais segmentos recuaram em 2020.