Oficializada candidata a prefeita pelo PL teve a candidatura retirada pelo presidente do partido para apoiar emedebista.

Candidata a prefeita pelo PL a vereadora Dra. Cristina Lopes  protestou contra a direção do seu partido que, após a convenção de quarta-feira 16, ter oficializado a sua candidatura a prefeita, fez revisão na ata partidária, fechando apoio a candidatura de Maguito Vilela (MDB).

“Aqui nesta mesa, temos mulheres que foram expostas, literalmente desconsideradas e traídas por seus partidos”, afirmou Dra. Cristina ao comentar, o caso de Nega na Moda, anunciada como candidata a vice na chapa de Wilder Morais (PSC), que se juntou à campanha majoritária de Vanderlan Cardoso (PSD) após indicação do governador Ronaldo Caiado (DEM).

O desabafo de Dra Cristina confirma o fato de que as mulheres foram alijadas nas chapas majoritárias de Maguito e de Vanderalan Catdoso (PSD). É fato que Wilder Morais (PSDC) Havia anunciado como vice-prefeita  a modelista Valdelice “Nega da Moda”(AVANTE), e um dia depous, descartou-a, formalizando aliança  com Vanderlan, sendo seu vice.

Vadelice, a Nega da Moda (AVANTE), foi anunciada vice de Wilder Moraes (PSC), que depois fechou chapa com Vanderlan Cardoso (PSD)

Em Goiás o PL é dirigido por Flávio Canedo, esposo da deputada federal Magda Moffato (PL). Em Goiânia a sigla é presidida por Valdery Júnior.

Cristina Lopes foi uma das mais votadas nas eleições de 2016 para Câmara de Goiânia e no pleito seguinte, para deputada estadual,  recebeu 27.864 votos, quase 20 mil deles na Capital.

Natural de Cianorte (PR), ela fez carreira profissional e política em Goiânia.  Em 1986, aos 20 anos, Cristina Lopes teve 85% do corpo queimado por seu, então, ex-namorado em uma tentativa de homicídio. Este drama pessoal a motivou na luta pelos direitos da mulher e contra a violência de gênero.

A forma grosseira que Dra Cristina Lopes e Valdelice Ribeiro foram descartadas por seus partidos reflete o machismo estrutural que impera nas estrutras partidárias em Goiás. O tempo dirá se as haverá reflexos para as campanhas de Vanderlan Cardoso (PSD) e Maguito Vilela (MDB). No mínjmo ambos devem um pedido de desculpas as duas liderança políticas que foram ultrajadas pelos seus partidos.

Em Goiás, o eleitorado apto a votar nas próximas eleições totaliza, atualmente, o número de 4.347.618 eleitores dos quais 52% se refere às mulheres, com 2.285.225 eleitoras. Na Capital do Estado são 957.159 eleitores aptos a votar, dos quais cerca de 498 mil são mulheres.