Laboratório estatal brasileiro, um dos mais respeitados do mundo, recebe vacina da China e vai iniciar testes com voluntários da área de saúde. Brasil pode sair na frente dos EUA em imunização.

Em entrevista ao Uol, Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, afirmou hoje que o governo federal perde tempo no combate ao novo coronavírus ao falar sobre cloroquina e hidroxicloroquina, medicamentos defendidos pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), mas que ainda não têm eficácia comprovada no tratamento da covid-19.

Covas disse ainda que amanhã deve chegar ao Brasil o avião vindo da China com as doses da vacina desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac, que será testada no país a partir da semana que vem.

Veja a nota do Butantan

O Instituto Butantan está direcionando toda a sua energia na vacina do COVID-19.

Começamos colocando em perspectiva uma das vacinas mais promissoras do mundo, fruto da associação com a empresa chinesa Sinovac.

Em paralelo, estamos fazendo parcerias com outras empresas e institutos de pesquisa, além das iniciativas próprias no desenvolvimento de vacinas aqui no Butantan.

Nosso compromisso é o de trazer solução para essa epidemia, para o povo brasileiro e contribuir para outros países da América Latina e do mundo.”

Diretor do Instituto Butantan, Dimas Tadeu Covas