A presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, a democrata Nancy Pelosi, anunciou a abertura de um processo de impeachment contra o presidente Donald Trump.

De acordo com a matéria que foi veiculada no DCM (Diário do Centro do Mundo),  Pelosi disse que “as ações do presidente violaram seriamente a Constituição”.

Na mesma tarde, o presidente havia anunciado seu desejo de tornar pública a polêmica conversa telefônica realizada com o presidente da Ucrânia, Volodímir Zelenski, que está na origem do escândalo político que resultou no anúncio de Pelosi.

Até o momento, ela relutava em abrir o impeachment contra Trump porque considerava o assunto muito divisivo.

Mas, depois do último escândalo político que colocou Trump em destaque – a conversa telefônica em que o presidente dos EUA teria coagido o presidente ucraniano a investigar o filho do ex-vice-presidente Joe Biden -, Pelosi se reuniu com congressistas democratas moderados que acreditam que o presidente foi capaz de atravessar uma fronteira intransitável.

Esses mesmos democratas, especificamente sete deles, publicaram um artigo de opinião na noite de segunda-feira na edição digital do Washington Post, no qual disseram que se Trump pediu ao presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, que investigasse o filho de Joe Biden, seria confrontado com “uma violação flagrante e inaceitável da lei”.