Nas suas redes sociais, o deputado estadual viu como invasiva a ida do governador Ronaldo Caiado à reunião do MDB na última sexta-feira, e avalia que Caiado não quer o MDB na chapa majoritária, quer evitar que Gustavo seja candidato e o derrote em 2022.

Paulo Cezar Martins é um político experiente. Com três mandatos de vereador em Goiânia e cinco de deputado estadual, ele é um dos “emedebistas raiz” da escola do saudoso Sodino Vieira, ex-prefeito e ex-deputado por Quirinópolis.

Nas suas redes sociais, Paulo Cezar criticou a ida do governador Ronaldo Caiado (DEM) à sede do MDB, na Avenida Paranaíba em Goiânia. Defensor da candidatura própria do partido ao governo do Estado, o deputado avaliou que a estratégia de Caiado é impedir que o MDB tenha chapa própria em 2022:

“A ida do governador Ronaldo Caiado ontem ao Diretório do MDB nos mostra que Caiado está com medo do crescimento do nome de Gustavo Mendanha por todo o estado. No momento em que o MDB se prepara para lançar candidato próprio, o governador sai do Palácio e vai até o diretório, sem ouvir a nossa militância e tenta mudar o rumo do nosso partido. A ação de Caiado não foi em busca de ter o MDB na chapa majoritária, mas de impedir que o nosso partido, liderado por Gustavo Mendanha, o vença nas eleições de 2022”.

https://www.instagram.com/p/CS1jb_6rh-e/

Ontem, no artigo “Caiado dá o beijo da morte no MDB“, o Onze de Maio apontou esta mesma preocupação do deputado Paulo Cezar Martins. A estratégia de Caiado é a mesma utilizado por outros governador de Goiás: reduzir o maior partido de oposição a apêndice de seu governo.

 

Leia também:

Caiado dá o beijo da morte no MDB