Ação, que começa nesta quarta-feira (15/04) com a participação de fiscais e guardas civis metropolitanos, visa eliminar foco do mosquito transmissor da dengue.

 

Com a ajuda de um chaveiro, agentes de endemias do Departamento de Controle de Zoonoses (DCZ) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) estão abrindo imóveis fechados em Goiânia e multando proprietários reincidentes.

 

A ação, que conta com a participação da Guarda Civil Metropolitana, visa destruir focos do Aedes aegypti.

Levantamento da Zoonoses mostra que há em Goiânia 470 imóveis abandonados e fechados.

 

O gerente de vetores do Departamento de Zoonoses, Fernando Nascimento, explica que, antes de recorrer ao chaveiro para realizar a abertura dos imóveis à revelia dos donos, foi feito o possível para resolver o problema.

“Agora já chegamos com o fiscal que, de posse do cadastro do imóvel onde tem o CPF do proprietário, emite a multa na hora. Não dá mais para deixar a irresponsabilidade de uma pessoa causar danos à saúde de tantas outras”, diz.

Multa

Os valores das multas onde são encontrados os focos do mosquito transmissor da dengue variam. Para imóveis residenciais, a multa é de R$ 2.255. Caixa d’agua, reservatórios ou cisternas sem tampas adequadas, R$2.258. Piscina sem tratamento, R$ 6.273,75. Se o imóvel for comercial, a multa aplicada é de R$ 5.646.

 

Segundo o Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa), o Índice de Infestação Predial (IIP) em Goiânia é de 2,3%, ou seja, a cada 100 imóveis visitados, pelo menos dois possuem focos do mosquito. Em 2019, 35.062 pessoas tiveram dengue na capital, 15 morreram vítimas da doença.

 

Este ano, até o momento, foram registrados 5.780 casos e nenhum óbito. Sirlene Mendonça, da editoria de Saúde