Diário do Centro do Mundo mostra revolta de pastores angolanos que denunciam racismo, evasão de divisas e imposição de vasectomia aos clérigos da igreja.

A Angola é um dos países mais estratégicos para a Igreja Universal fora do Brasil, que iniciou um grande projeto de expansão no país há alguns anos. Porém, sua trajetória parece ter chego ao final.

Um grupo de bispos e pastores da Universal se revoltaram contra Edir Macedo e assumiram o controle de 35 endereços localizados na capital, Luanda, e de 50 outras igrejas em cidades como Benguela.

Motivados por críticas à direção da organização, que é acusada por eles de racismo, discriminação, abuso de autoridade, evasão de divisas e imposição de vasectomia em parte da equipe, os pastores angolanos resolveram romper de vez e se impor perante o pastor brasileiro, que tem se referido ao movimento como um ‘golpe’.

Em um vídeo, um pastor denuncia as práticas dos brasileiros no país: