Ex-deputado esclarece que o pai e candidato reage bem, mas equipe do Albert Stein entende que o centro médico na capital paulista pode acelerar o tratamento.

 Marcus Vinícius de Faria Felipe

 Presidente do MDB  e antes de tudo, filho de Maguito Vilela, o ex-deputado federal Daniel Vilela participou de coletiva à imprensa para esclarecer o quadro médico do pai, que será transferido hoje para o Hospital Albert Stein, em São Paulo (SP).

Daniel Vilela diz que Maguito Vilela respira com auxílio de máscara, e que tem reagido bem ao tratamento. Questionado se haverá a necessidade de substituição do candidato, Daniel foi enfático:

“Não há discussão ou cogitação disso. O quadro do candidato é estável.  Tem o comprometimento da inflamação, que é típico desta doença., mas estamos seguros da evolução do tratamento. .Nosso foco é na estabilização do quadro clínico, para que a gente tenha  um cenário de perspectiva de recuperação do próprio candidato, e a partir disto vamos tomar nossas decisões”, explica.

 

Para Daniel Vilela a ausência de Maguito prejudica o desenvolvimento da campanha. Ele informa que , quando o candidato se afastou a equipe da campanha manteve um ritmo intenso e acelerado, mas isto tem um limite.

“A presença do candidato é fundamental. As pessoas querem ver, se reunir com o candidato. Mas como eu disse, nenhuma decisão vai ser tomada no dia de hoje. Queremos ultrapassar esta fase mais aguda da doença, para termos um cenário mais concreto”, frisa.

Daniel informa que nos próximos programas eleitorais a campanha vai esclarecer aos eleitores a situação do candidato. “Vamos agir sempre com transparência absoluta”, afirma.

Ele pediu as orações e boas vibrações dos eleitores, apoiadores e amigos de Maguito Vilela para que esta corrente positiva também ajude na recuperação mais rápida do candidato. A transferência de Maguito está prevista para o final da tarde desta terça-feira, 27/10.

 

 

Parecer medico

Segundo o pneumologista Marcelo Rabahi a transferência é uma medida que se justifica para acelerar o tratamento. A equipe médica de Goiânia vai se juntar a equipe do Albert Stein de São Paulo na atenção ao paciente. Ele observa que o Hospital Orion, onde Maguito está internado em Goiânia também faz parte do grupo do Stein. “É como se o paciente estivesse sendo transferido de uma ala do hospital para outra”, esclarece.

Quanto às condições clínicas de Maguito, o Dr. Rabahi informa que ele teve alteração vascular típica de pacientes do covid19, e que desde o início foi medicado com anticoagulante. Como houve comprometimento entre 50%a 75% da capacidade pulmonar, gerando desconforto na respiração, Maguito foi submetido ao suporte de ventilação não invasivo, ou seja, utiliza máscara de oxigênio  para auxiliar a respiração.

Dr. Rabahi explica que as funções cardíacas e renais de Maguito estão normais, o que ele considera bom para esta fase da doença. Embora o paciente esteja na UTI, ele justifica que esta medida apenas demonstra o cuidado da família e da equipe médica para a plena recuperação do paciente.