Grupos de crianças atendidas trabalharam os direitos de ser e de brincar, assegurados pelo Estatuto.

O trabalho dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) de Trindade é uma porta de entrada para o universo dos direitos da criança e do adolescente. Para conhecer algumas atividades do CRAS Laguna Park, o prefeito Marden Júnior esteve no local na segunda-feira, durante um momento especial.

O dia foi dedicado a abrir a programação do aniversário de 31 anos do Estatuto da Criança e Adolescente (ECA), celebrado em 13 de julho. Voltado para um público de crianças a partir de 6 anos, até adolescentes de 18 anos, e também para idosos de 60 anos em diante, o Cras do Laguna atende 23 setores da região.

“Enxergo no trabalho social dos Cras a oportunidade para que nossas crianças conheçam a realidade dos seus direitos como cidadãs para terem um futuro melhor”, enfatizou o prefeito Marden Júnior.

Para ele, a mensagem mais forte que fica da assistência prestada nos Cras é a de “gerar uma expectativa para uma população que, sem essas condições, não teria as mesmas oportunidades”.

Os atendidos são adolescentes como Caíque Leonardo, 14 anos, morador do Laguna, que encontram nas brincadeiras lúdicas do Centro de Referência um escape e tanto para esses dias de pandemia e isolamento social recomendado.

“Aqui tenho alguma coisa pra fazer, brinco, aprendo”, destaca ele entre os colegas do grupo. O Cras separou as turmas em 23 grupos que têm dias e horas específicos para as atividades, evitando aglomerações, explica a técnica de referência da unidade, Ângela Araújo Rocha.

Segundo ela, as atividades que abrem as comemorações do ECA foram divididas no eixo “Direito de Ser” e no sub-eixo “Direito de Brincar”. “As atividades provocam reflexões que futuramente vão garantir o empoderamento das crianças sobre esses direitos”, argumenta.

Já Coordenadora do Cras, Neide Zago Santana, informou que a unidade possui 82 frequentadores nas diferentes idades. De modo geral, a comunidade atendida é beneficiada com sua inserção automática nos programas sociais e inclusão no Cadastro Único.

“Somos a porta de entrada para famílias que detectamos serem necessitadas dos benefícios dos diversos programas ofertados, como o Programa de Atendimento Integral à Família”, acrescentou.