Temida pelo governo, CPI prepara instalação e escolha dos nomes que vão conduzir investigação.

Por Redação RBA

 Pronta para se reunir oficialmente pela primeira vez na terça-feira (27), a partir das 10h, a chamada CPI da Covid no Senado já se prepara para convocar os ex-ministros da Saúde do atual governo. Enquanto isso, a Comissão Temporária da Covid-19 ouve amanhã (26), no mesmo horário, o atual titular, Marcelo Queiroga. Ele participará de audiência pública remota para discutir questões relativas à vacinação no país.

Essa comissão temporária foi criada em fevereiro. Composta por 12 titulares e igual número de suplentes, tem prazo de 120 dias de funcionamento. O presidente é o senador Confúcio Moura (MDB-RO) e o relator, Wellington Fagundes (PL-MT).

Mas a principal expectativa recai mesmo sobre a CPI da Covid, criada no dia 13 por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), que vai investigar ações do governo e o uso de verbas na pandemia. Com a instalação, serão escolhidos presidente, vice e relator da comissão. A reunião de terça será semipresencial.

Por enquanto, o único registrado para presidir o colegiado é o senador Eduardo Girão (Pode-CE), mas Osmar Azis (PSD-AM) também deve concorrer. Até agora, o nome mais citado para a relatoria é de Renan Calheiros (MDB-AM).
Tanto Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor do requerimento que deu origem à CPI, como Girão defendem a convocação dos ex-ministros Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello. Além disso, Randolfe pretende chamar médicos e cientistas para apurar as responsabilidades do Executivo.