Aparelho custa 15 vezes menos que os comercializados no mercado, pode ser montado em 2 horas com peças nacionais e supre necessidade de importar equipamento da China

 

Um aparelho ventilador pulmonar emergencial que foi criado por um grupo de engenheiros da Escola Politécnica (Poli) da USP para ser usado na pandemia de coronavírus foi aprovado em testes técnicos e segue para aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Batizado de Inspire, o protótipo tem mais duas vantagens: pode ficar pronto em cerca de duas horas e é feito de peças que podem ser encontradas no país, ou seja, não necessita de componentes importados.

Os respiradores disponíveis no mercado custam, em média, R$ 15 mil, enquanto o valor do Inspire é de R$ 1 mil, aproximadamente.

Segundo os técnicos, não houve qualquer problema com os pacientes ventilados durante o período de testes, entre 17 e 19/04.

Testes com animais e avaliações técnicas também atestaram a eficiência do respirador.

“Buscamos montar um equipamento que pudesse utilizar ao máximo componentes que já existem no mercado brasileiro, não dependendo muito de importação, e que pudéssemos acionar os fabricantes para aumentar sua produção”, afirmou ao G1 o professor Raul González Lima, especialista em Engenharia Biomédica.

Segundo ele, a Poli-USP é responsável pelo projeto, mas não pela fabricação, que deverá ser feita por empresas com autorização da Anvisa. O projeto tem licença aberta para os interessados em produzir o ventilador.