Aleksander Gintsburg, diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, afirmou que a combinação da Sputnik V e da AstraZeneca produz uma vacina com efeito mais duradouro contra o coronavírus..

Do Sputinik News

“A Fundação Russa de Pesquisas Fundamentais, com o Centro Gamaleya, dirigiu-se à corporação AstraZeneca com proposta de possível utilização de um dos dois componentes, que fazem parte da vacina russa Sputnik V, […] a fim de aumentar a possível eficácia da vacina da AstraZeneca”, revelou Gintsburg, durante a reunião de assinatura de um memorando de cooperação para o combate contra coronavírus.

De acordo com o diretor do Centro Gamaleya, os colegas da AstraZeneca consideraram a proposta positiva e sugeriram que “não só aumentará a possível eficácia imunológica, mas também criará uma proteção mais duradoura”.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, expressou a esperança de uma parceria bem-sucedida entre o Centro Gamaleya e a farmacêutica AstraZeneca na luta contra o coronavírus.

“Vocês passaram a atuar depois de dialogar. Dos apelos, vocês deram início à realização dos desafios enfrentados pelo mundo e humanidade hoje em dia, sem qualquer exagero. Eu, primeiramente, os felicito por isso. Em segundo lugar, espero que a sua cooperação seja bem-sucedida. Desejo boa sorte”, declarou Putin durante videoconferência.

Anteriormente a AstraZeneca aceitou a proposta feita pelo RFPI e pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya de usar um dos dois vetores da vacina Sputnik V em adição aos testes clínicos de sua própria vacina, que vão iniciar antes do final do ano.

Em agosto, a Rússia se tornou o primeiro país a registrar uma vacina contra COVID-19, que foi batizada de Sputnik V.