Agentes de saúde irão realizar visitas nas casas dos aparecidenses com mais de 60 anos de idade e, se necessário, encaminhar para o exame RT-PCR. Grupo é o mais afetado pelo Coronavírus.

Começou nesta terça-feira, 15 de setembro, uma nova ação da Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia (SMS) referente à prevenção e enfrentamento ao Coronavírus. Desta vez, agentes comunitários de saúde (ACS’s) e de combate a endemias (ACE’s) irão percorrer as residências dos moradores da cidade com mais de 60 anos de idade orientando sobre a Covid-19. Idosos com sintomas de gripe ou que tenham tido contato com algum caso confirmado da doença poderão ser encaminhados para realizar o exame RT-PCR. Além disso, todos aqueles com mais de 80 anos, independentemente de sintomas ou histórico de contato, podem realizar o teste, que é o mais confiável para diagnóstico da doença. O primeiro bairro a receber a iniciativa é o Buriti Sereno, que tem uma das maiores populações de idosos de Aparecida. A estimativa da Secretaria é a de visitar cerca de 1.600 moradores nesta região.

“Nós identificamos que, em números proporcionais, os idosos são os mais afetados pela Covid-19 e têm também o maior índice de mortalidade no município. Os números ficam ainda mais alarmantes quando se trata de pessoas com mais de 80 anos de idade. Cerca de 28% dos pacientes com essa idade que contraem o Coronavírus evoluem para o óbito. É o maior índice. Em termos comparativos, dentre as pessoas de 30 a 39 anos, esta taxa é de 0,15%. Diante dessa constatação, a SMS pensou em uma ação específica para esse grupo populacional”, explicou o secretário de Saúde de Aparecida, Alessandro Magalhães, que também preside o Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento à Covid-19.

A dona Leontina Alves Barbosa Moraes de 60 anos, recebeu os agentes da saúde em sua residência nesta quarta-feira, 16, e ressaltou que essa ação é muito importante. “Eu acho importante porque, no meu caso, são várias pessoas na casa que são do grupo de risco. A gente tem que tomar todo cuidado e como esse trabalho tem sido muito bom, tenho visto bastante pessoas procurando para estar se tratando. Aqui em casa Graças a Deus estão todos tudo bem”, disse a moradora.

Diagnóstico precoce e tratamento adequado
Alessandro Magalhães destaca que a testagem dos idosos permite o diagnóstico precoce da doença e intervenções rápidas e eficazes: “Assim que um idoso testar positivo, a nossa equipe de Telemedicina entrará em contato e iniciará o acompanhamento de imediato. Esse paciente também será monitorado com exames laboratoriais a cada 48h, além de tomografia e empréstimo de oxímetros. Ao menor sinal de agravamento, nossa equipe médica intervirá e o idoso será assistido da melhor forma evitando futuras complicações”.

Como funcionam as visitas domiciliares
A busca ativa em Aparecida é realizada por agentes de saúde que já são conhecidos pela população, visto que o trabalho rotineiro deles se dá em visitas domiciliares. Nesta ação, eles entregam materiais gráficos contendo explicações importantes a respeito do novo coronavírus, causador da Covid-19, e orientam os moradores, em especial os idosos. Eles também preenchem um formulário com os dados pessoais das pessoas acima de 60 anos. Se necessário, os agentes encaminham essas pessoas para realização do teste RT-PCR no posto de coleta mais próximo.

O superintendente de Atenção à Saúde, Gustavo Assunção, explica que esse trabalho também ajuda no monitoramento de indivíduos com doenças crônicas: “Muitos idosos estão receosos de procurar as unidades de saúde por conta da pandemia e esquecem de cuidar de outros problemas que os afetam. Nesse sentido, nossos agentes vão orientá-los, afinal, pessoas com pressão alta, diabetes e problemas cardíacos, dentre outros, não podem deixar de ser acompanhadas pelos profissionais de saúde.”

O gestor também fez um alerta para a população em geral: “quem tem parentes, amigos ou conhecidos idosos, sobretudo quando estes demandam mais cuidados, precisam redobrar a atenção com a higiene, a alimentação e a correta manutenção dos tratamentos e medicações rotineiros dessas pessoas. Estamos preparados para acolher, monitorar e tratar os idosos adequadamente, mas precisamos da conscientização em massa da população”.