Pai do prefeito Gustavo Mendanha (MDB) o ex-deputado estadual Liosmar Evaristo Mendanha faleceu na noite desta terça-feira (6) vítima das sequelas da Covid-19. O ex-legislador tinha 66 anos e foi hospitalizado no dia 17 de março, em Aparecida de Goiânia. Quatro dias depois foi transferido para São Paulo, onde estava intubado.

Liosmar, ou Leo Mendanha, como ficou conhecido, era figura querida em Aparecida de Goiânia. Sua simplicidade e sinceridade eram reconhecidas. e por isto é daqueles raros personagens da politica que não tinha inimigos. Adversários, talvez, mas desafetos, não.

Leo mudou de Inhumas, onde nasceu em 1954 para Aparecida no início dos anos 1980, onde se estabeleceu como comerciante, corretor, e iniciou sua carreira na política na eleição de 1982 como candidato a vereador na chapa do PMDB que elegeu Norberto Teixeira para prefeito (1983-1988). Não se elegeu vereador,  mas a convite de Norberto assumiu o cargo de Secretário da Ação Urbana e Secretário de Obras da Prefeitura de Aparecida de Goiânia. Com Norberto o PMDB iniciava um  período de governança no município, que teria depois o saudoso Tião Viana (1989-1992) e Ademir Menezes (1997-2000).  Neste período Leo seria eleito vereador  (1989) e duas vezes deputado estadual (1994 e 1998).

A covid-19 priva Aparecida de Goiânia de um político idealista e fiel. Leo manteve-se no PMDB nas piores horas do partido, e foi pelas mãos dele que os emedebistas retornaram ao poder em Aparecida de Goiânia. Foi o entusiasmo de Leo Mendanha que convenceu o ex-governador Maguito Vilela a retomar as lídes políticas como candidato a prefeito de Aparecida em 2008. Maguito seria eleito, depois reeleito em 2012, fazendo em 2016  como sucessor o atual prefeito Gustavo Mendanha.

Leo Mendanha, que tinha 66 anos,estava internado no Hospital Albert Eintein, em São Paulo, desde o dia 21 de março. Ele deixa esposa, Sônia Melo Mendanha e filhos: Gustavo, Daniela e Thaize.