O escritor Olavo de Carvalho, de 74 anos, desembarcou em São Paulo na manhã desta quinta-feira (8) para a realização de exames e tratamentos médicos no Hospital das Clínicas, em São Paulo, segundo informa o jornal Brasil Sem Medo, do qual o escritor é presidente do conselho editorial.

Nas redes a volta de Olavo ao Brasil gerou críticas, pois o “guru” da família Bolsonaro sempre foi crítico ao Sistema Único de Saúde, além de considerar as universidades púbicas “antro de comunistas”, fica então a pergunta: Como Olavo de Carvalho se sente sendo atendido por um hospital ligado a uma universidade federpública, tendo o tratamento pago com o dinheiro do contribuinte brasileiro? Por que não ficou nos Estados Unidos e se tratou lá?

A contradição do “ultra-neoliberal” Olavo de Carvalho não passou em branco por Felipe Neto, que tuitou:

Jornalista especializada em economia, Mônica Waldwogel ironizou o neoliberalismo “flexível” de Olavo: ” Será tratado com os melhores médicos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo num hospital do Sistema Único de Saúde, essa notável instituição brasileira, mantida pelo contribuinte. Não precisará gastar nenhum tostão”.

Já o ex-candidato ao governo de São Paulo, Guilherme Boulos (PSOL), lembrou a defesa do “filósofo”, sobre o terraplanismo e as críticas ao SUS:

 

O deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP) cutucou: “Olavo de Carvalho saiu do esconderijo nos EUA para se tratar no InCor, hospital público da USP. Logo ele que demonizou universidades e SUS com seu repertório de fake news grosseiras. Seria bom que fizesse um tratamento para a hipocrisia”

A ex-deputada federal Manuela D´´Avila (PC do B), emendou:

Olavo de carvalho, aquele senhor que estimula atos de violência contra quem defende um Estado que garanta políticas públicas, deixou os EUA s veio se tratar no SUS.

 

“Ao desembarcar, Carvalho foi recebido pela equipe do Dr. José Antonio Ramires, no Hospital das Clínicas, em São Paulo, e segue em acompanhamento. O estado de saúde do filósofo é estável e não demanda nenhuma intervenção de oxigênio ou soro intravenoso”, segue a publicação.

Por fim, a notícia dá conta de que “em abril, Olavo esteve internado para tratamento respiratório, do qual já foi curado. Também ao contrário do que foi dito na imprensa, o filósofo não esteve infectado com a covid-19.”