Os governadores dos estados do Nordeste devem fechar nesta sexta-feira (12) a compra da vacina Sputnik V a preço menor do que será pago pelo Ministério da Saúde.

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), disse hoje que obteve desconto do instituto Gamaleya, da Rússia, na compra de 39 milhões de doses. Cada uma custará US$ 9,95. O acordo foi construído depois de uma reunião entre os estados e o Ministério da Saúde, na quinta-feira (11).

Já o presidente Jair Bolsonaro e seu ministro da Saúde, o general Eduardo Pazuello, que demoraram para procurar o laboratório haviam fechado um acordo para a compra de 10 milhões de doses ao preço de US$ 13 a unidade.

Em entrevista à CNN nesta sexta-feira (12), o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), afirmou que, se o governo federal não assumir a compra das 39 milhões de doses, os governadores do consórcio garantirão a compra.

Segundo o governador, o contrato deve ser assinado hoje. “Está previsto para hoje o fechamento dessa compra. O Ministério comprando, ele paga. Não pagando, nós firmamos contratos e pagamos. Mas neste caso vamos dialogar com estados, porque o Brasil tem dificuldade de um estado pagar a despesa do outro. Esse é o ponto onde esbarramos”, destacou Wellington, ressaltando que a intenção, de qualquer forma, é distribuir as vacinas para todo país.

Em meados de janeiro deste ano, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que já vinha promovendo uma articulação internacional para que o Brasil possa adquirir o maior número possível de doses de vacinas contra a Covid-19, se reuniu com o diretor do Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF), Kirill Dmitriev, responsável pelo financiamento e desenvolvimento da Sputnik V.

As vacinas compradas pelos governadores  serão incorporadas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Wellington também disse à CNN Brasil que, em agosto passado, o então presidente do Consórcio Nordeste, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), encaminhou memorando de compra para 50 milhões de doses.

“Mas esbarramos na legislação, que não permitia compra que não fosse pelo Ministério da Saúde. Ficamos aguardando alterações. Agora tivemos a decisão do Ricardo Lewandowski (ministro do STF) e foi sancionada lei que permite compra descentralizada”, explicou Wellington Dias.

“Hoje está tudo pronto entre o fórum dos governadores do Nordeste e o Fundo Soberano da Rússia, que tem para a entrega vacinas prontas, não mais aqueles 50 milhões que a gente tinha, mas 39 milhões, que é um bom número para a realidade brasileira”, disse Dias à CNN.

“A partir daí, garante um cronograma que entrega vacina a partir de março e abril, até junho, e chega a 26 milhões de doses. Em agosto, chega a 39 milhões, a US$ 9,95 [a dose] (cerca de R$ 55), um preço compatível. Buscamos o ministro [Eduardo] Pazuello e colocamos que vamos fazer o contrato. E, se fizermos, quem está pagando são os estados”, disse.

Anvisa

A vacina Sputnik V ainda não tem aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nem para uso emergencial, o que já está sendo tratado pelo laboratório russo.

Frente pela Vida apoia o empenho de governadores na negociação para a obtenção de vacinas, em especial o Consórcio Nordeste, e também o Pacto Nacional pela Vida e pela Saúde, liderado pelo Fórum Nacional de Governadores. A Frente realizou ato virtual com a participação de Wellington Dias e representantes das entidades da Saúde.

Redação: Cida de Oliveira – Edição: Helder Lima

 

Leia também:

Ministério da Saúde fecha contrato para compra de 10 milhões de doses da Sputnik V