Governador defende a proibição de venda e consumo de bebidas alcoólicas a partir das 22 horas em bares e resraurantes.

Goiás já vive a segunda onda de covid-19. Em várias cidades como Caralão, no Sudeste do Estado e Jataí, no Sudoeste, os hospitais estão com 100% dos leitos ocupados. Diante deste avanço na pandemia, o governador Ronaldo Caiado (DEM) propôs  a lei seca, medida que visa restringir a circulação nos bares, proibindo a venda e consumo de bebibas a partir das 22 horas.

Consulta aos prefeitos

De acordo com o portal G1 Goiás, A nova medida será implementada pelo governo após os prefeitos responderem a uma enquete se são favoráveis ou não à nova medida. Assim que a votação alcançar votos positivos da metade e mais um prefeito, o governo tomará a decisão por meio de decreto. Até as 15h50 desta segunda-feira, o governador informou que 50 prefeitos já votaram e 97% deles são favoráveis.

Caiado alertou para a alta taxa de ocupação dos leitos de UTIs no domingo (24), enquanto recebia 65,5 mil doses da vacina Astrazeneca/Oxford em Goiânia. O político avaliou o indicador como “no limite”.

 

Números

A Secretaria da Saúde de Goiás (SES-GO) informa que há 340.110 casos de coronavírus 2019 (Covid-19) no território goiano. Destes, há o registro de 327.919 pessoas recuperadas e 7.295 óbitos confirmados. No Estado, há 293.287 casos suspeitos em investigação. Já foram descartados 217.200 casos.​

Com os 7.295 óbitos confirmados de Covid-19 em Goiás até o momento,  significa uma taxa de letalidade de 2,15%. Há 210 óbitos suspeitos que estão em investigação.