Catadores de materiais recicláveis em Bela Vista de Goiás temem que a prefeitura finalize o contrato entre o poder público e a Cooperativa dos Catadores.

A preocupação sobre o possível encentramento do convênio foi feito na página do Facebook “2 anos de governo Nárcia Kelly – Avaliação crítica”, que é de responsabilidade da oposição no municipio. Segundo o texto, “ao invés de investir no fortalecimento da Cooperativa de Catadores de Material Reciclável de Bela Vista de Goiás, que luta para sobreviver há de anos, a prefeita Nárcia Kelly faz o caminho contrário de qualquer dirigente público comprometido com o desenvolvimento social e ambiental da sua comunidade: busca um empresário na capital para terceirizar a coleta e a reciclagem de lixo, deixando de gerar renda e dignidade à várias famílias de catadores”.

De acordo com a página no Facebook, “nestes últimos dois anos de governo, Nárcia nunca atendeu as solicitações de melhoria do sistema de reciclagem da cidade. Aliás, só esteve na Central de Reciclagem uma única vez de forma relâmpago, onde fez uma foto com as catadoras para colocar na mídia social”.

Os críticos da administração da prefeita Náqrcia Kelly alegam que ela é  avessa à Central de Reciclagem. O maior temor do grupo é que a sua gestão ponha fim , a Cooperativa, que há dez anos presta serviços ao município, e coloque no seu lugar uma empresa privada.

“A prefeitura de Bela Vista, na mais completa surdina, assinou contrato autorizando a empresa Reciclagyn, de Goiânia, a se instalar no terreno do Aterro Sanitário para Explorar a coleta e reciclagem de material sólido da cidade. Ninguém ficou sabendo disso, nem mesmo os vereadores. A notícia só se espalhou depois que a prefeita e todo o seu secretariado inaugurou a pedra fundamental da Reciclagyn no Aterro Sanitário com direito a vídeo no Facebook”, adverte.

Ainda de acordo com o texto, a prefeita Nárcia  ainda não se dispôs a conversar sobre o assunto com a Cooperativa. “Não foi incapaz de olhar nos olhos de Lucimar Brasil, catadora histórica e fundadora da Cooperativa de Reciclagem e a única que permaneceu firme na cooperativa por esses longos dez anos; foi incapaz de dizer às catadoras das suas reais intenções”, cobra.

Segundo dirigentes da Cooperativa, há meses estão solicitando uma audiência com a prefeita e ela não marca. “E não marcará, pois Nárcia Kelly não tem coragem e argumentos para dizer às catadoras que ela já decidiu suas vidas: olho da rua; desemprego; humilhação e abandono”, protesta.