Carta Maior entrevista com Nina Santos, pesquisadora, pós-doutoranda, professora da UFBa, uma das realizadoras da pesquisa que mostra como fake news inundaram o Youtube.

OUÇA AGORA

NINA SANTOS, pesquisadora, pós-doutoranda, professora da UFBa, uma das realizadoras da pesquisa.

Nina Santos é uma das pesquisadoras que realizou a investigação inédita “Ciência Contaminada – Analisando o contágio de desinformação sobre o coronavírus via YouTube”, publicada recentemente.

Nina é pós-doutoranda no INCT.DD, doutora em Comunicação pela Université Panthéon-Assas/Paris II e professora substituta da Faculdade de Comunicação da UFBA (Universidade Federal da Bahia).

O trabalho revela como o YouTube vem sendo utilizado impunemente como canal para difusão de informações falsas sobre a pandemia.

Nada menos de 11.526 vídeos do YouTube foram analisados entre 1º de fevereiro e 17 de março deste ano, assistidos por dezenas de milhões de pessoas.

A investigação terá continuidade e trará resultados sobre vídeos que divulgam e recomendam a cloroquina. Além de Nina, assinam a pesquisa Caio Machado, João Guilherme Bastos dos Santos e Daniel Dourado

Conteúdo Relacionado