A Câmara Municipal de Goiânia repudiou nesta sexta-feira (6/8), em nota, as declarações do deputado estadual Amauri Ribeiro (Patriota) contra a vereadora Luciula do Recanto (PSD). No texto, assinado pela Mesa Diretora, o Poder Legislativo informa que está tomando as medidas jurídicas cabíveis em resposta às manifestações “intimidatórias” e “em tom de ameaça” feitas pelo parlamentar contra a vereadora durante pronunciamento na tributa da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás.

A Polícia Civil de Goiás (PCGO) decidiu investigar o deputado estadual Amauri Ribeiro (Patriota), que disse que a vereadora pela capital goiana, Luciula do Recanto (PSD) “merecia um tiro na cara”. A vereadora goianiense registrou boletim policial contra o deputado nesta terça-feira (10/8).

No no dia 25 de maio deste ano, a vereadora Lucíula do Recanto acompanhou equipe da Agência Ambiental e da Guarda Civil que recebeu denúncias de que uma propriedade estava fazendo maus-tratos a animais. A operação resultou na apreensão de vários galos da raça Mura, que são utilizados em rinhas de briga. Fiscais constataram mutilações nos pés das aves, que são causadas nas lutas entre galos.

Defensor de rinhas e passarinhos em gaiola

No dia 26 de maio, Amauri fez novamente uso da Tribuna da Alego e disse que no criatório, onde houve a apreensão, não havia evidências de degradação aos animais. “Lá não havia maus-tratos. Existe até manual da Secretaria da Agricultura para criar os galos”, arrematou. Lucíula rebateu e disse que os fiscais constaram as mutilações.

Vídeo da apreensão feito pela TV Anhanguera também constatou os maus tratos.

Amauri Ribeiro também se posicionou no dia 01 de junho,  contra projeto de autoria do vereador de Goiânia, Marlon Teixeira (Cidadania),  que visa proibir a criação, manutenção ou guarda doméstica de passarinhos de qualquer espécie, nativo ou exótico, silvestres, em cativeiro, gaiola, cativeiro ou equivalente, em toda a cidade de Goiânia. “Só em Goiânia, são mais de 2 mil criadores de passeriformes legalizados, autorizados pela Semad, pelo Ibama, que geram renda”, frisou o parlamentar, com a ressalva de que existe “uma instrução normativa, da Secretaria do Meio Ambiente, que autoriza a criação”

Já no dia 05/08  o deputado Amauri Ribeiro (Patriota) usou a tribuna da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) novamente atacou a operação e ameaçou a vereadora.

“Eu fico puto quando vejo uma vereadora, igual essa aí de Goiânia que se diz protetora de animais, arrebenta o portão da casa de um cidadão, sem mandado, sem ordem judicial, porque ela também não é polícia, nem com ordem ela podia, e invade uma casa. Para mim, merecia um tiro na cara. Quem invade o que não é seu, não merece nem viver”, disse Amauri.

https://www.youtube.com/watch?v=yLZyT4HLzV4

 

 

Nova ameaça

Após receber a notícia de que a vereadora Ludimila teria feito o Boletim de Ocorrência em razão de suas declarações, Amaury voltou a repetir sua fala, durante entrevista à TV Anhanguera.

“Eu disse na Assembleia que quem faz este tipo de procedimento é bandido ou policia, e que eu saiba ela não é polícia para fazer isto. Quem faz isto merece um tiro na cara, e se fizer na minha casa, pode ter certeza que toma um tiro na cara”, reiterou.

 

Maus tratos com a própria filha

Essa não é a primeira vez que o deputado Amauri Ribeiro utiliza argumentos violentos em seus discursos na Assembleia Legislativa. Em várias oportunidades em que usou a tribuna da Alego, Amauri Ribeiro discursou de maneira agressiva contra a secretária de Economia, Cristiane Schmidt. Sempre ao final de uma fala, o deputado utiliza o bordão, “tá dado o recado”.

Em 2015, a Polícia Civil investigou Amauri Ribeiro, quando ele ainda era prefeito de Piracanjuba, por agressões contra a própria filha, de 16 anos. O caso ganhou repercussão após a divulgação de fotos da menina com lesões nas costas e na boca em redes sociais. Em um vídeo publicado na web, o administrador confirmou que bateu na adolescente. Questionado, Amaury confirmou as agressões:

“Costumo assumir o que faço, as fotos são verdadeiras, minha filha tomou um corretivo, e não me arrependo”, disse o prefeito

Amauri Ribeiro também é defensor da liberação de porte de armas para proprietários rurais, e já foi chamado a atenção pela Mesa Diretora do Legislativo pelo seu linguajar agressivo. A repercussão de suas últimas declarações pode levar a Alego a encaminhar o caso à Comissão de Ética da Assembleia, que é dirigida pelo deputado Humberto Aidar (MDB).

 

Leia a íntegra da nota da Câmara Municipal de Goiânia:

“A Câmara Municipal de Goiânia lamenta e repudia profundamente as declarações intimidatórias, em tom de ameaça, do deputado estadual Amauri Ribeiro dirigidas à vereadora Luciula do Recanto durante pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa”, afirma a nota. “A Mesa Diretora determinou nesta sexta-feira (6/8) à Procuradoria Geral a adoção das medidas legais cabíveis em defesa da honra e do livre direito de atuação, manifestação e expressão da vereadora e dos demais 34 vereadores que compõem o Plenário do Poder Legislativo da Capital”, diz ainda o texto da nota.

NOTA DE REPÚDIO

A Câmara Municipal de Goiânia lamenta e repudia profundamente as declarações intimidatórias, em tom de ameaça, do deputado estadual Amauri Ribeiro dirigidas à vereadora Luciula do Recanto durante pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa.

A Mesa Diretora determinou nesta sexta-feira (6/8) à Procuradoria Geral a adoção das medidas legais cabíveis em defesa da honra e do livre direito de atuação, manifestação e expressão da vereadora e dos demais 34 vereadores que compõem o Plenário do Poder Legislativo da Capital.

Goiânia (GO), 6 de agosto de 2021
Mesa Diretora da Câmara Municipal de Goiânia