Governador prepara novo decreto que deve ser publicado na quarta-feira, restringindo atividades em Goiânia, região metropolitana, Entorno de Brasília e cidades às margens das rodovias federais.

O governador Ronaldo Caiado (DEM), anunciou através de uma entrevista ao Globo News e também à TV Anhanguera, que deve restringir atividades sociais e econômicas em algunas regiões do Estado. O novo decreto deve ser publicado amanhã com regras de  maior restrição em Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis, o Entorno do Distrito Federal e as cidaes às margens de rodovias.

 

“Há mais ou menos uns 12 dias estou insistindo em campanhas publicitárias falando ao povo da necessidade de nós baixarmos a movimentação, as aglomerações no Estado.  Eu disse também que caso não funcionasse eu iria tomar medidas mais rígidas, mas não no cenário estadual. Eu sei exatamente hoje quais são as regiões que estão mais preocupantes com o maior risco de contaminação: a capital, o entorno da capital, o entorno de Brasília e algumas cidades nas proximidades da rodovias federais. Não é uma coisa genérica. Nós vamos estar agir no sistema de conter e de restringir mais nestas regiões e vamos calibrando as necessidades de acordo com os dados. Agindo no sistema de conter e de restringir mais nestas regiões e vamos calibrando as necessidades de acordo com os dados que recebemos diariamente”, frisa

Quenda no isolamento e aumento das contaminações

Goiás tem 37% de isolamento social, enquanto o vizinho estado do Tocantins tem 36%. A estes dados soma-se o aumento do número de casos suspeitos da doença: Goiás tem  1.100 casos de coronavírus  (Covid-19). Destes, há 49 óbitos confirmados. No Estado, há 11.969 casos suspeitos em investigação. Outros 3.983 já foram descartados. No Laboratório Estadual de Saúde Pública Dr. Giovanni Cysneiros (Lacen-GO) há 118 amostras em análise.

Caiado reagiu a esta estatística. “Goiás estava em primeiro lugar (em isolamento), agora está em último. Isto é constrangedor para nós. Enquanto não se tem uma vacina, o melhor que podemos fazer é o isolamento”, disse o governador. “O momento é delicado. A gente tem que ter muita habilidade, compreensão e noção do que é prorrogar o processo de quarentena”, frisa.

O governador diz que está conversando com todos os poderes (Legislativo, Judiciário e prefeituras) para discutir as novas regras do isolamento. Ele informa que ligou  para o prefeito Iris Rezende (MDB)  nas primeiras horas do dia e disse a ele da gravidade do problema.  “Goiânia passando a ter mais de 50% dos casos de contaminação e como tal foi exigido uma decisão conjunta”, informa.

Segundo Caiado, está programada reunião com toda a estrutura de Segurança Pública – do comandante da PM, Bombeiros, Diretor da Polícia Civil e Secretaria de Segurança -, pedindo também o apoio para que o decreto, que deve ser publicado na quarta-feira (13/05) seja respeitado, tendo força de lei.

“Nós não estamos tomando decisão num achismo. Estamos tomando decisão  em cima da situação de hoje. Jamais gostaria de ter visto que hoje: O Estado de Goiás era o primeiro em isolamento e hoje é o último. Como pode isso? Isto é constrangedor. Infelizmente ocorreu, eu não tenho que ficar explicando, eu tenho é que agir agora para gente não ter as consequências deste afrouxamento, com uma quantidade de casos, que a gente depois não tenha condições de fazer o tratamento”, adverte.

“Se estamos hoje com apenas 49 óbitos, é porque nós estamos dando uma assistência, de qualidade às pessoas que chegam ao hospital, mas quando as pessoas se avolumam para chegar ao hospital, aí a qualidade do atendimento vai lá embaixo,” frisa, reforçando a necessidade de controle e isolamento.