Em comentário à coluna Painel da Folha de S.Paulo governador de Goiás diz que governo federal tem que agir rápido para evitar caos social.

Avaliando a instabilidade econômica causada pelo coronavírus,  sobretudo a vulnerabilidade dos mais pobres Caiado foi enfático:

“Se nada for feito de forma imediata, vai haver desobediência civil e o povo vai quebrar tudo”.

Ronaldo Caiado afirma que ‘urgência urgentíssima’ é garantir alimentação e que se o presidente Jair Bolsonaro não agir rapidamente nesse sentido haverá desobediência civil e quebra-quebra.

Em live direto do Palácio das Esmeraldas, o governador lamentou novamente a morte de uma goiana infectada pelo novo coronavírus e reafirmou que a vida, para ele, não tem preço, por isso mesmo trabalha com afinco para que Goiás saia dessa crise com o menor número de mortos possível.

“Se eu conseguir passar por isso com o Estado de Goiás tendo o menor índice de óbito, estarei satisfeito”, mesmo que, reafirmou, “uma morte é muito”.

Fake news

Ele condenou as pessoas de má fé que usam as redes sociais para propagar notícias falsas, provocando mais angústia e caos.

“Não tem nada pior do que as fake news. Acho que as pessoas que espalham isso são psicopatas”, sentenciou.

E concluiu: “Temos de acreditar na ciência. Vamos acreditar no médico ou num charlatão? No médico, é claro. Nossas ações são tomadas balizadas nos dados científicos, no sentido de poder cada vez mais produzir resultados em Goiás para salvar vidas”.

A live pode ser conferida na íntegra na página da RBC FM no Facebook, no link www.facebook.com/rbcfm90.1/videos/532627064322010/

Mais informações: (62) 3201-7655