Com quase de 16 mil cadastrados em apenas uma semana, o aplicativo Dados do Bem, do Governo de Goiás , já começou a notificar as pessoas que responderam ao questionário disponível na ferramenta e que apresentam sintomas da doença.

A coleta terá início por Goiânia, onde estão nove mil desse universo de quase 16 mil registros, no Hospital de Campanha instalado no Parque Santa Rita. A previsão é que, ainda esta semana, outras quatro unidades de saúde da capital, sob a responsabilidade da Prefeitura, recebam a população indicada para fazer o RT-PCR.

O governador Ronaldo Caiado explica que o projeto estende-se, a partir de agora, para outras 19 prefeituras, além da capital, que já firmaram convênio com o Governo de Goiás para ampliar a realização da testagem e promover o isolamento dos pacientes com confirmação de infecção pelo novo coronavírus. Somente no Hcamp de Goiânia, a capacidade é de 140 coletas por dia e o exame deve ser agendado, entre 8h e 17 horas, para evitar aglomeração de pessoas no local.

Atualmente, a Saúde de Estado da Saúde realiza de 250 a 400 testes por dia, pelo Laboratório Central de Saúde Dr. Giovanni Cysneiros (Lacen), em Goiânia. Com o Dados do Bem, deve realizar, na primeira semana, de 500 a mil testes diários ou mais. Gradativamente, o processamento dos exames será ampliado, podendo chegar a mais de 4 mil testes por dia.

“Vamos poder agora acompanhar a trajetória do vírus e isolar as pessoas que deram positivo, junto com aqueles que estão próximos a ela. Assim, teremos uma capacidade de diminuir a velocidade de contaminação e monitorar essas pessoas”, esclareceu Caiado.

O governador ainda destacou que a meta é alcançar 78 municípios, que foram pré-selecionados pela Secretaria Estadual da Saúde (SES) em razão da situação epidemiológica. A adesão das prefeituras é fundamental para que os agentes comunitários e assistentes sociais de cada cidade possam fazer o acompanhamento dos pacientes que foram isolados.

Funcionamento

Para participar da iniciativa, é só baixar o app gratuitamente nas lojas virtuais e fazer uma autoavaliação, que consiste em responder perguntas simples sobre sintomas e quadro de saúde. Com base nas respostas, a ferramenta, levando em consideração a janela do teste PCR, seleciona as pessoas com perfil de caso suspeito.

Quem tiver indicação para o teste de Covid receberá um QR Code no celular. Para fazer o exame, gratuitamente, basta ir até a unidade de saúde selecionada e apresentar o código para ser escaneado. O agendamento se dará exclusivamente pela ferramenta. É importante ressaltar que qualquer tipo de comunicação é feita pelo próprio aplicativo. O Dados do Bem não envia mensagens por WhatsApp.

Caso o resultado dê positivo, o infectado apontará até cinco pessoas com quem ele tem mais contato. Cada um desses indicados receberá uma mensagem no celular, com o voucher, e será convidado a também fazer o teste. Dessa forma, o aplicativo consegue mapear a população afetada pelo novo coronavírus.

Quem não for chamado para fazer o teste pode refazer a autoavaliação a cada sete dias.  A maioria dos participantes não será testada, mas todos estarão contribuindo com o mapeamento. Quanto mais pessoas participarem, mais informações as autoridades de saúde terão para entender o comportamento da Covid em Goiás.

Mesmo nos municípios onde não haverá testagem, é importante que a população baixe o aplicativo, pois assim será possível saber como está o comportamento do vírus no Estado como um todo. A ferramenta utiliza a inteligência de dados para realizar o mapeamento epidemiológico, montar mapas de risco e locais com maiores índices de contaminação. O projeto não visa ao diagnóstico individual, mas ao entendimento coletivo da propagação da Covid-19.

A ampliação da testagem e do monitoramento é fruto da união de esforços da Secretaria-Geral da Governadoria (SGG) e as Secretarias de Estado da Saúde (SES-GO) e de Desenvolvimento e Inovação (Sedi-GO). O programa é efetivado por meio de parceria do Governo de Goiás com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz-RJ), que doou os kits e vai realizar a análise dos testes, e o Instituto D’or de Pesquisa e Ensino, que cedeu o aplicativo desenvolvido pela empresa Zoox Smart Data.

Calamidade Pública

A pedido do governador Ronaldo Caiado, Goiás foi inserido, nesta terça-feira, dia 28, no rol das unidades federativas que se encontram em situação de calamidade pública por causa da disseminação do novo coronavírus. Na prática, o “título”, emitido pelo governo federal via Ministério da Defesa Civil, contribui para que uma série de exigências e burocracias sejam eliminadas quando for necessário ao Executivo recorrer a empréstimos e recursos para combater a pandemia.

“Eu já estive reunido com o Ministério de Desenvolvimento Social, com o Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal para podermos, com a Secretaria da Retomada, ter a capacidade de contrair empréstimos. É hora da política voltada para resgatar o emprego no Estado de Goiás e atender também às necessidades mais emergenciais das famílias vulneráveis”, assinalou Caiado.

O governador lembrou que R$ 20 milhões já foram repassados a GoiásFomento pela Caixa e que busca mais R$ 200 milhões, via Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), no Banco do Brasil, para alavancar os negócios de empreendedores individuais, micro e pequenos empresários.