Time brasileiro começou nervoso, mas a experiência do técnico Zé Roberto (tricampeão olímpico) fez a equipe se achar no jogo, que  teve a volta da levantadora Macris e os ataques arrasadores de Gabi, Garay e bloqueios decisivos de Rosamaria  e Carol, fizeram a diferença no placar.

A seleção brasileira derrotou as adversárias do Comitê Olímpico Russo de virada por 3 sets a 1 (23/25, 25/21, 25/19 e 25/22 ), nesta quarta-feira, 4, e avançou para a semifinal da competição. Agora, o Brasil enfrentará a Coreia do Sul, na sexta-feira.

“Estou muito feliz pelo que a gente vem fazendo. Está muito nítido para o mundo inteiro que o que tem feito a diferença para o Brasil é o time e acreditar o tempo inteiro. Começamos a partida perdendo de 1 a 0, quase perdemos o segundo set e sempre acreditamos uma na outra. Sabíamos que não éramos as grandes favoritas, mas que juntas podíamos fazer coisas incríveis. E é o que estamos fazendo. Saímos de situações muito difíceis juntas e assim que vamos conseguir ainda mais na semifinal. Estou muito orgulhosa de ter a oportunidade de jogar com um time tão confiante e vencedor”, destacou Gabi Guimarães, maior pontuadora do Brasil na partida (12).

O Brasil entrou em quadra com Carol Gattaz, Roberta, Gabi, Tandara, Carol, Fernanda Garay e a líbero Camila Brait.

O Comitê Olímpico Russo começou o jogo com tudo e logo abriu 4 a 0. Passado o susto inicial, o Brasil se recompôs e encostou no placar na metade do set. O forte bloqueio russo, porém, impedia o crescimento brasileiro na partida. A Rússia voltou abrir vantagem no marcador. Assim, o treinador José Roberto Guimarães decidiu colocar a levantadora Macris, recuperada de lesão, em quadra. O bloqueio brasileiro passou a funcionar, assim como as defesas e os contra-ataques. Mesmo com o equilíbrio, a Rússia venceu o primeiro set por 25 a 23.

Com o apoio de atletas de outras modalidades na torcida na Ariake Arena, o Brasil voltou mais ligado no segundo set e ficou na frente do placar pela primeira vez no jogo (4 a 3). Após um pedido de tempo, a Rússia se reorganizou e ficou na frente de novo. A partir daí, as adversárias passaram a comandar o marcador, abrindo 15 a 9. Neste momento, começou a reação brasileira. A entrada de Rosamaria melhorou o time, que virou o jogo e fechou o set em 25 a 21.

O Brasil entrou de vez na partida no terceiro set. Não havia bola perdida para o time brasileiro, e o ataque funcionava a partir das variações da levantadora Macris. Outro fundamento que fez a diferença para o Brasil no set foi o bloqueio. O Brasil defendia muito e, comandado por Gabi e Garay, fechou em  25 a 19 no terceiro set.

O quarto set foi marcado por muito equilíbrio e alternância na liderança do placar. A partida tinha cara de decisão, todas as bolas eram importantes. O momento decisivo do jogo aconteceu com um ace de Macris, quando o Brasil abriu diferença de dois pontos no placar. Com um bloqueio triplo, o Brasil abriu 21 a 19. A Rússia empatou o jogo, mas o Brasil, em mais um bloqueio, assumiu a liderança novamente em 23 a 22. O Brasil venceu por 25 a 22. Gabi Guimarães foi o destaque do time com 12 pontos.

O treinador da equipe, José Roberto Guimarães, elogiou a postura das jogadoras.

“A gente trabalhou muito, temos essa qualidade. Então, temos que enaltecer isso. Fiquei feliz porque vi o time junto, sem desistir em momento algum. Isso foi muito legal de sentir. Esse time tem força, não vai entregar fácil. É um time que luta e que faz do Brasil uma equipe competitiva. O pessoal sabe que sew deixar o Brasil crescer vai ter trabalho. Se a gente encontrar um pouco de força, vamos brigar. Tomara que tudo caminhe como está caminhando”, comentou o tricampeão olímpico.

Ao final da partida, José Roberto Guimarães comemorou a vitória como se fosse um título, correndo pela quadra. “Foi mais para agradecer a torcida. Eu sei que estava um sofrimento muito grande. A gente sabia que essa vitória era muito importante para passar dessa fase e entrar na zona de medalha. A comemoração foi mais por isso. Só não dei peixinho”, brincou o treinador, que estipulou um prazo de 12 horas para a comemoração da vitória. Depois, é pensar na Coreia.

 

A campanha da Seleção Brasileira de Vôlei Feminino:

Tabela Jogos de Tóquio:

SELEÇÃO FEMININA

25.07 (DOMINGO) – Brasil 3 x 0 Coréia do Sul (25/10, 25/22 e 25/19)

28.07 (TERÇA-FEIRA) – Brasil 3 x 2 República Dominicana (22/25, 25/17, 25/13, 23/25 e 15/12)

29.07 (QUINTA-FEIRA) – Brasil 3 x 0 Japão (25/16, 25/18 e 26/24)

31.07 (SÁBADO) – Brasil 3 x 1 Sérvia (25/20, 25/16, 23/25 e 25/19)

02.08 (SEGUNDA-FEIRA) – Brasil 3 x 0 Quênia (25/10, 25/16 e 25/8)

Quartas  de final

04.08 (QUARTA-FEIRA) – Brasil 3 x 1 Comitê Olímpico Russo (23/25, 25/21, 25/19 e 25/22 )

 

Com informações do COB e da CBV