Óbitos confirmados em 24 horas passam de 1,8 mil, maior marca já observada no país

Do Brasil de Fato 

A covid-19 já causou 200.498 mortes no Brasil, de acordo com números divulgados nesta quinta-feira (7) pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). No mesmo dia em que o país ultrapassou a marca dos 200 mil óbitos, foi registrado também recorde absoluto de contaminações e casos fatais em 24 horas.

Somente entre quarta (6) e quinta-feira (7), o total oficial de novos infectados pelo coronavírus foi de 94.517. O patamar mais expressivo alcançado anteriormente era de cerca de 70 mil casos em um dia, na segunda semana de dezembro. Com os dados mais recentes, o país chega a 7.961.673 pessoas que já foram contaminadas.

Covid-19 em 2021: “Estamos dentro de uma panela de pressão”

O número de mortes registradas em 24 horas chegou a 1.841 nesta quinta-feira (7). Até então, o recorde de óbitos em um dia no país havia ocorrido em 29 de julho, quando foram confirmados mais de 1.500 casos fatais da covid-19. Estados Unidos e Brasil são as duas únicas nações do mundo que já contabilizam mais de 200 mil mortos.

Por problema técnicos registrados na base de dados do Amazonas e do Rio de Janeiro na quarta-feira (6), os números divulgados pelo Conass nesta quinta englobam o acumulado de dois dias desses dois estados. O resultado também pode ter aumentado por influência do represamento de informações durante o recesso de fim de ano.

Artigo | Em fala de fim de ano, Bolsonaro empurrou “bronca” da covid-19 para Deus

Ainda assim, os registros desta semana no Brasil já são superiores ao que foi observado no fim de dezembro. Entre 27/12 e 02/01 houve a confirmação de 250.599 contaminações. Agora, já são mais de 251 mil novos pacientes, ainda sem os dados de sexta e sábado. O país já contabiliza mais de cinco mil mortes nesta semana. Até 02/01, os óbitos somaram 4.930.

Saiba o que é o novo coronavírus

É uma vasta família de vírus que provocam enfermidades em humanos e também em animais. A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que tais vírus podem ocasionar, em humanos, infecções respiratórias como resfriados, entre eles a chamada “síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS)”.

Também pode provocar afetações mais graves, como é o caso da Síndrome Respiratória Aguda Severa (SRAS). A covid-19, descoberta pela ciência mais recentemente, entre o final de 2019 e o início de 2020, é provocada pelo que se convencionou chamar de “novo coronavírus”.

Como ajudar quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

Edição: Leandro Melito