Em uma partida épica na Ariake Arena, a seleção brasileira masculina de vôlei derrotou a França, por 3 sets a 2, parciais de 25-22, 37-39, 25-17, 21-25 e 20-18, em 2h38, pela última rodada do Grupo B nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. A equipe comandada pelo técnico Renan Dal Zotto salvou quatro matches points para conquistar a importante vitória que garantiu, pelo menos, a segunda colocação no grupo. Agora, o Brasil aguarda as demais partidas da competição para conhecer o seu próximo adversário.

“Nossa equipe é forte, temos excelentes jogadores acostumados a esses momentos de decisão e dificuldade, de reverter esse tipo de situação. Mentalidade bem forte quanto a isso. E continuamos fazendo nosso jogo”, afirmou o central Lucão, que terminou a partida com 19 pontos. O maior pontuador do Brasil foi o oposto Wallace, com 23.

O duelo entre as duas seleções entrou para a história dos Jogos Olímpicos como o maior da disputa masculina em termos de pontos somados das duas equipes. Ao todo, Brasil e França somaram 249 pontos (128 Brasil e 121 França). O recorde anterior pertencia ao jogo entre Itália e Iugoslávia, dos Jogos Olímpicos Sydney 2000, com 241.

Por pouco as duas equipes não superaram uma outra marca da disputa masculina em Jogos Olímpicos. A vitória da França no segundo set, por 39 a 37, ficou perto do placar de outra partida de Sydney 2000. Na ocasião, a Itália ganhou o primeiro set da Argentina, por 40 a 38.

“Eu estou cansado, claro, mas como qualquer um que ficasse em pé ali. Sairia destruído num jogo como esse. A partida foi de um equilíbrio impressionante, a pontuação foi lá em cima. É impressionante a qualidade técnica da França. Foi um jogo que, sinceramente, qualquer uma das duas equipes poderia ter vencido. Ficamos felizes porque acabar a primeira fase com vitória é muito importante porque há uma demonstração de crescimento do grupo. Começou os Jogos Olímpicos com dificuldade e foi crescendo e vencendo as dificuldades”, analisou o técnico Renan, frisando que fazia tempo que não via um jogo tão equilibrado, com tantas grandes jogadas e longos ralis.

O JOGO

O primeiro set começou equilibrado, mas com o ataque funcionando, a defesa bem ajustada e bons bloqueios, o Brasil abriu vantagem e venceu por 25 a 22. No segundo set, o Brasil seguia bem, mas a França melhorou seu jogo, aproveitou uma queda de ritmo brasileiro durante a parcial e conseguiu igualar o placar em 22 a 22. A partir daí o que se viu em quadra foi uma disputa épica entre as duas seleções, com trocas de vantagens no placar após seguidos bloqueios de ambos os lados. No fim, os franceses levaram a melhor e fecharam o set em 39 a 37, após 51 minutos.

O Brasil voltou mais atento para o terceiro set e logo abriu boa vantagem. Com o ataque novamente funcionando muito bem, a equipe do técnico Renan não teve dificuldade para vencer por 25 a 17. No quarto set, a seleção brasileira seguiu melhor, porém a França reagiu, se recuperou após ficar quatro pontos atrás e acabou ganhando por 25 a 21, levando a disputa para o tie-break.

No quinto e decisivo set, o Brasil começou arrasador e logo fez 3 a 0. Mas a França não se deu por vencida, equilibrou o tie-break e empatou o jogo em 12 a 12. A partir daí as equipes voltaram a se alternar no placar. Os franceses tiveram quatro matches points, mas não conseguiram fechar o jogo. A seleção brasileira, no entanto, aproveitou sua segunda chance de match point e ganhou a partida.

Com informações do COB – foto: Divulgação/FIVB