O presidente Jair Bolsonaro rebateu no domingo (25), durante passeio de moto por Brasília, crítica de apoiador sobre a alta do preço do arroz.

No momento em que saia da Feira Permanente do Cruzeiro, região administrativa do Distrito Federal, o chefe de Estado ouviu de um frequentador: “Bolsonaro, baixa o preço do arroz, por favor. Não aguento mais”. 

De acordo com relatos da mídia, o presidente ficou irritado e retrucou, segundo vídeo publicado pelo site Poder 360: “Tu quer que eu baixe na canetada? Se você quer que eu tabele, eu tabelo. Mas você vai comprar lá na Venezuela”.

O frequentador da feira não respondeu ao presidente, que ainda afirmou: “Fala e vai embora”. Em seguida, Bolsonaro retornou ao Palácio da Alvorada.

O preço do arroz aumentou cerca de 50% em 2020. Para conter a inflação do produto, o governo zerou as taxas de importação do alimento até 31 de dezembro. A redução temporária está restrita à quota de 400 mil toneladas.

 

‘Sacrifício e patriotismo’

Quando os preços do arroz dispararam, o presidente chegou a pedir “sacrifício e patriotismo” aos donos de supermercado para que mantivessem suas margens de lucro menores. No entanto, ele negou depois que iria congelar preços.

Bolsonaro estava acompanhando no passeio de moto pelos ministros Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, e Walter Braga Netto, da Casa Civil.