O Governo Federal deve oficializar na tarde hoje as 17 empresas estatais que pretende privatizar. Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, a lista irá “surpreender”.

“E nós achamos que vamos surpreender. Tem gente grande aí que acha que não será privatizado e vai entrar na faca”, disse Guedes na terça-feira (20).

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse nesta quarta não se lembrar de todas as empresas, mas confirmou que os Correios integram a lista. O presidente disse que a privatização da empresa responsável pelo envio de entregas e encomendas no Brasil será um “processo bastante longo” porque precisa ser aprovado pelo Congresso.

De acordo com informações do G1, há resistências políticas à privatização da Eletrobras,  e por isto aliados do governo do presidente Jair Bolsonaro sugeriram à equipe econômica vender antes os Correios.

Segundo líderes de partidos alinhados ao Palácio do Planalto, o Legislativo teria mais facilidade hoje de aprovar o projeto de lei para venda da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos.

Já o texto da privatização da estatal do setor elétrico enfrentaria fortes obstáculos no Congresso.

O site  Poder360 antecipou a lista das 17 empresas que fazem parte da lista de futuras privatizações:

Emgea (Empresa Gestora de Ativos);

ABGF (Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias);

Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados);

Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social);

Casa da Moeda;

Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo);

Ceasaminas (Centrais de Abastecimento de Minas Gerais);

CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos);

Trensurb (Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A.);

Codesa (Companhia Docas do Espírito Santo);

EBC (Empresa Brasil de Comunicação);

Ceitec (Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada);

Telebras

Correios

Eletrobras

Lotex (Loteria Instantânea Exclusiva);

Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo).