O presidente Jair Bolsonaro foi ao Santuário Nacional de Aparecida, em Aparecida do Norte (SP) neste sábado em razão do dia de Nossa Senhora de Aparecida e foi recebido com mais vaias do que aplausos, surpreendendo a comitiva presidencial.

A reação negativa veio no mesmo dia em que o arcebispo de Aparecida, dom Orlando Brandes, declarou que “a direita é violenta e injusta” e que a corrupção tem tido caminho mais fácil.

Segundo Gerson Monteiro, do portal Terra, logo na chegada de Bolsonaro um coro de vaias tomou conta do principal templo católico do país. O presidente não conseguiu esconder a surpresa com as reações e ficou boquiaberto. Alguns aplausos também foram ouvidos, tentando amenizar o estrago. Em dois momentos em que o ex-capitão teve o nome anunciado os fiéis reagiram com vaias e aplausos.

Bolsonaro é o primeiro presidente da República a participar das celebrações de 12 de outubro e o segundo a ir à Aparecida no exercício do cargo. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi uma vez à catedral.

Mais cedo, o dom Orlando Brandes fez um sermão com duras críticas ao conservadorismo e à direita. Ele disse que o “dragão do tradicionalismo” ataca o Papa Francisco e o Sínodo da Amazônia e que a corrupção tem tido caminho mais fácil, gerando desemprego e crescimento das desigualdades.

“Temos o dragão do tradicionalismo. A direita é violenta, é injusta, estão fuzilando o Papa, o Sínodo, o Concílio Vaticano Segundo. Parece que não queremos vida, o Concílio Vaticano segundo, o evangelho, porque ninguém de nós duvida que está é a grande razão do sínodo, do concílio, deste santuário, a não ser a vida como já falei”, professou Brandes.