O presidente Jair Bolsonaro continua a negar  gravidade da pandemia fo coronavírus. Em entrevista à rádio Super Tupi ele voltou a negar os riscos da doença. Deputado distrital encaminhou novo pedido de impeachment contra o presidente.

O presidente também criticou as medidas tomadas pelos governadores  contra a epidemia dizendo que vão causar “um baque”  na economia.

“Olha, a economia estava indo bem… esse vírus trouxe uma certa histeria”, disse o presidente nesta terça-feira, em entrevista à Rádio Super Tupi.

“Tem alguns governadores, no meu entender, eu posso até estar errado, mas estão tomando medidas que vão prejudicar em muito a nossa economia”, argumentou Bolsonaro.

Segundo o presidente, as pessoas não vão ficar em casa e vão acabar se juntando em algum lugar.

“Eu vi, não sei se é verdade, que a nossa feira dos nordestinos está proibida de funcionar. Eu não sei, isso é uma histeria, porque o cara não vai na feira do nordestino, ele vai na esquina ali comer um churrasquinho de gato, ou vai em um outro local qualquer e vai se juntar”, disse.

“O cara não vai ficar em casa. Então, essa histeria leva a um baque da economia. Alguns comerciantes acabam tendo problemas”, acrescentou.

Festinha

Mas, além de chamar o coronavírus de “histeria”, ele voltou a ironizar as recomendações de especialistas no mundo todo ao confirmar que promoverá uma aglomeração de pessoas para comemorar seu aniversário.

“Eu faço 65 [anos] daqui a quatro dias. Vai ter uma festinha tradicional aqui. Até porque eu faço aniversário dia 21 e minha esposa dia 22. São dois dias de festa aqui”, disse.

Impeachment

O deputado distrital Leandro Grass (Rede-DF) protocolou nesta terça-feira 17/III, na Câmara dos Deputados, um pedido de impeachment contra Jair Bolsonaro por crime de responsabilidade.

No documento, o deputado critica Bolsonaro por:

– alegar, sem apresentar provas, que as eleições de 2018 foram fraudadas;

– convocar e apoiar as manifestações de 15/III, que atacavam o Legislativo e o Judiciário, em claro descumprimento das normas de saúde em meio à pandemia do novo coronavírus;

– declarações indecorosas contra jornalista;

– determinação de comemoração do Golpe Militar de 1964, entre outros.

“Desde que sentou na cadeira da Presidência da República, em janeiro de 2019, Bolsonaro vem praticando uma série de atos incompatíveis com o decoro que o cargo que ele ocupa exige. O país hoje está em crise econômica, estamos passando por uma crise mundial de saúde e ele ignorando os protocolos e colocando a população em risco. O Brasil não tem condições de superar essas crises com Jair Bolsonaro na presidência. Ou ele, ou o povo”, afirmou Grass no pedido de impeachment.

Com informações do Conversa Afiada