Diversos pontos de São Paulo amanheceram com mensagens cobrando o presidente pela alta em itens como arroz e carne; segundo o Dieese, o patamar dos preços mudou e cesta básica não deve voltar ao que era

Por Lucas Rocha
Da Revista Fórum

Cerca de 20 pontos da cidade de São Paulo amanheceram, no último domingo (28) com lambe-lambes criticando o aumento dos preços dos alimentos no governo do presidente Jair Bolsonaro.

O jornalista Bruno Torturra, editor-chefe do programa Greg News, usou as redes sociais para compartilhar uma das colagens que foram feitas na capital, na Avenida Paulista.

Os cartazes se assemelham aos anúncios de preço de supermercado e destacam a alta do preço de itens como arroz, carne, gás de cozinha, cesta básica e gasolina.

“Tá muito caro. Tá na conta do Bolsonaro. Essa conta não é nossa. O Brasil não merece isso”, diz uma das mensagens da campanha “Bolsocaro”.

Twitter com imagem de cartazes do Bolsocaro, do usuário Michel @canhotins, em outro ponto da capital paulista.

O usuário Michel @canhotins divulgou ainda uma foto de outro ponto.

“Rua Vergueiro perto do Metrô Liberdade temos o BOLSOCARO. Tá tudo caro, e a culpa é de Bolsonaro”, tuitou. O registro foi feito pelo fotógrafo Rudá Melo.

Segundo o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), a cesta básica subiu até 33% no ano passado e consome a maior fatia do salário mínimo em 12 anos. “Houve uma mudança de patamar de preços, não tem volta”, disse a economista Patrícia Lino Costa, supervisora de pesquisas do Dieese, à jornalista Fabíola Salani, na Fórum.