Ex-governador tucano do Paraná que mandou espancar professores é   acusado de corrupção  e  preso mais uma vez pela Polícia Federal

 


Amigo do ex-juiz Serguo Moro, que em 2018 se recusou a abrir investigação contra o seu governo, o ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), foi preso às 7h desta sexta-feira (25) em casa por determinação do juiz da 23ª Vara Federal de Curitiba, Paulo Sérgio Ribeiro. A detenção é resultado de um pedido feito pelo MPF (Ministério Público Federal) em desdobramentos da Operação Integração, que apura possíveis irregularidades na administração de rodovias no Estado. O contador Dirceu Pupo Ferreira também foi preso preventivamente, ou seja, por tempo indeterminado.

De acordo com as investigações, o ex-governador Beto Richa foi beneficiário de pelo menos R$ 2,7 milhões em propinas pagas em espécie pelas concessionárias de pedágio do Paraná e por outras empresas que mantinham interesses no governo.