A SSP faz 26 prisões de assassinos com a Operção Força Centrífuga. Ao todo 65 pessoas foram alvo da polícia por suspeita de participação em vários homicídios.

A Polícia Civil de Goiás (PCGO), por meio da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), prendeu nesta semana, 26 suspeitos de assassinato em Goiás. A ação faz parte da Operação Força Centrífuga 3.

A operação foi deflagrada em Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis e Caldas Novas. O objetivo é combater o crime organizado e a retirar de circulação de pessoas que infringiram a lei e representam risco a segurança pública, diminuindo cada vez mais a impunidade em Goiás.

 

Durante a apresentação do resultado da operação, o titular da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídio delegado Rilmo Braga explicou que os presos são suspeitos de fazer parte de diversas associações criminosas.

“Realizamos estas prisões nos últimos três dias e constatamos que os suspeitos são de mais de uma facção. Além disso, um dos principais criminosos presos era conhecido como “Duque” e cometeu diversos crimes de homicídio já indiciados e é um dos principais criminosos de Goiás” completou o delegado, reforçando que houve 100% de sucesso nos mandados cumpridos.

O secretário de Segurança Pública Rodney Miranda, que também esteve presente na apresentação, parabenizou a Polícia Civil e a DIH e comentou sobre a operação.

“Isso irá refletir mais ainda na queda de números de homicídio do Estado, principalmente, da Região Metropolitana, já que são facções que estavam em várias cidades”, disse.

Ele reforçou que o Governo de Goiás, por meio da SSPGO, está adotando cada vez mais medidas para que haja maior percepção de segurança por parte da população goiana.

A Operação Força Centrífuga 3 permitirá, ainda, a conclusão de aproximadamente 30 inquéritos policiais, ao elucidar crimes bárbaros ocorridos na capital e região metropolitana. Os delitos estão vinculados, direta ou indiretamente, a fações criminosas, o que explica o nome da operação, visto que o combate passa a ser focado nos grupos criminosos.

Operação Força Centrífuga 1 e 2
Iniciada em outubro de 2019, a Operação Força Centrífuga já prendeu, até hoje, 59 adultos e apreendeu 6 menores. Na primeira fase, foram 18 adultos e 6 menores, todos por indícios de relação com homicídios e crimes violentos. A operação, a partir do cumprimento de mandados contra os indiciados faccionados, tirou de circulação suspeitos, auxiliando na redução dos índices criminais.

Já a segunda fase, desarticulou uma associação criminosa suspeita de pelo menos nove homicídios ocorridos entre 2017 e 2019, em Goiânia e Aparecida de Goiânia. No total 15 pessoas foram presas e respondem por homicídio, associação criminosa e tráfico de drogas. Na época, além das prisões, a Polícia Civil também cumpriu 16 mandados de busca e apreensão. Os presos possuíam diversas passagens pela polícia, alguns, inclusive, com condenações. Cerca de 80 policiais civis participaram das ações.

Redução da criminalidade e homicídios
No início de 2020, com o balanço do primeiro ano de governo, o governador Ronaldo Caiado já havia apontado os avanços na Segurança Pública. Segundo o chefe do Executivo estadual, isso foi possível graças à atuação e integração das polícias goianas, o que resultou na redução significativa dos índices de criminalidade do Estado.

Com os resultados do balanço do primeiro trimestre de 2020, houve mais uma confirmação da queda na criminalidade. O relatório mostrou que os crimes letais intencionais tiveram redução de 21,02% e que houve redução de 54,55% em latrocínios e de 20,20% em homicídios.