Número de menores trabalhando caiu 94 milhões desde 2000, mas ganhos estão ameaçando duas décadas de progresso contra a prática; com aumento da pobreza, famílias usam todos os recursos disponíveis para sobreviver; este 12 de junho é o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil.

 

Agência ONU News – Milhões de crianças correm o risco de serem empurradas para o trabalho infantil devido à crise da Covid-19. A pandemia pode levar ao primeiro aumento neste indicador após 20 anos de progresso, segundo a Organização Internacional do Trabalho, OIT, e o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef.

Além disso, as crianças que já trabalham podem estar sujeitas a maior carga horária e condições mais perigosas. Muitas correm mais danos à sua saúde e segurança.

Proteção

Esta sexta-feira, 12 de junho, a ONU celebra o Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil, sob o tema: “Covid-19: Proteja as crianças do trabalho infantil, mais do que nunca”.

Em nota, o diretor-geral da OIT, Guy Ryder, disse que “como a pandemia causa estragos na renda familiar, muitos podem recorrer ao trabalho infantil.” Ele lembrou que “a proteção social é vital em tempos de crise, pois fornece assistência às pessoas mais vulneráveis.”

Ryder afirmou que as questões sobre trabalho infantil devem integrar políticas mais amplas de educação, proteção social, justiça, mercado de trabalho e direitos humanos.

Salas de aula estão vazias em todo o mundo devido à pandemia de covid-19, by mercado2/Public Domain Em certos países, um aumento de um ponto percentual na pobreza leva a um crescimento de pelo menos 0,7% no trabalho infantil.

Recuperação

A diretora-executiva do Unicef, Henrietta Fore, conta que “à medida que a pobreza aumenta, as escolas fecham e a disponibilidade de serviços sociais diminui, forçando mais crianças ao trabalho.”

Para ela, “é preciso garantir que as crianças e suas famílias estejam capacitadas a enfrentar tempestades semelhantes no futuro.” Fore destaca educação de qualidade, serviços de proteção social e melhores  oportunidades econômicas.

Atualmente, o fechamento temporário de escolas afetando mais de 1 bilhão de alunos em mais de 130 países. Mesmo após o retorno às aulas, muitos pais não terão como enviar seus filhos à escola.

Trabalho doméstico

Como resultado, mais crianças podem cair em atividade perigosas e de exploração. A situação também pode agravar as desigualdades de gênero com as meninas mais vulneráveis à exploração no campo e no trabalho doméstico.

Lembre a entrevista de arquivo do especialista da OIT, Vinicius Pinheiro, sobre o tema:

A OIT e o Unicef propõem combater as ameaças com proteção social mais abrangente, acesso mais fácil ao crédito, promoção de trabalho decente para adultos, e o encorajamento do regresso das crianças à escola, eliminando o preço das matrículas e outras taxas.

Nesse momento, as duas agências estão desenvolvendo um modelo de simulação para analisar o impacto da pandemia no trabalho infantil em todo o mundo. Novas estimativas globais serão divulgadas em 2021.

Leia também:

Especialistas condenam uso da força contra jornalistas durante protestos nos EUA