As obras no aterro sanitário de Trindade começaram em fevereiro e, em pouco mais de dois meses, já apresentam bons resultados. Estrutura será referência em sustentabilidade no Estado. A lagoa de chorume está concluída.

A segunda trincheira foi aberta e está sendo implantado um sistema de cobertura com geomembrana que permite o controle do chorume liberado pelo lixo orgânico. O processo evita a contaminação do subsolo, lençol freático e de córregos próximos ao local.

“Os detalhes e normas técnicos estão todos sendo respeitados e nos preparamos para iniciar a parte final da obra”, diz o secretário municipal de Meio Ambiente, Roberto Badur.

Segundo o dirigente, “a partir daí, faremos a qualificação na Secretaria de Estado do Meio Ambiente”.

Os recursos para o projeto são do Ministério de Desenvolvimento Regional, por meio de convênio. A obra é de responsabilidade da Prefeitura de Trindade, por meio da Secretaria de Meio Ambiente em parceria com a Casa Civil.