A iniciativa foi do deputado estadual Antônio Gomide (PT) e contará com o próprio autor, que será o presidente, e mais nove deputados titulares. A proposta foi aprovada na sessão quinta-feira (09).


Após o anúncio do chamado contingenciamento dos orçamentos às universidades federais, o tema ganhou espaço na Alego com a declaração do reitor da UFG, Edward Madureira, afirmando que – em se confirmando a diminuição de verbas – a universidade não aguentaria chegar até o fim do ano.

 

“Foi isto que nos motivou a criar um movimento de resistência política a esta decisão que vai na contramão de tudo aquilo que o Brasil acredita, que é entender que a Educação o nosso único caminho para uma sociedade melhor, para a geração de maior justiça social. E não é sucateando o ensino público que iremos melhorar este caminho”, explica Gomide.

 

A Frente Parlamentar já criou um abaixo-assinado eletrônico na qual a sociedade poderá se manifestar e também fazer parte do debate. Haverá uma agenda a ser definida nos próximos para aproximar o parlamento goiano dos segmentos ligados ao ensino superior federal, tanto na UFG quanto no Instituto Federal.