Nestas eleições municipais, a máquina bolsonarista não está agindo somente para atacar as candidaturas do campo de esquerda, mas também trabalham para desinformar os eleitores com objetivo de desincentivar o voto.
Trata-se de uma enxurrada de fake news como a que está permitido o voto pelo celular. A Casa 13 enumerou as principais mentiras que estão sendo espalhadas.

Confira:

1. É mentira que o TSE lançou um aplicativo que permite votar pelo celular
As Eleições 2020 seguirão sendo através da urna eletrônica. Não houve nenhuma mudança no sistema de votação.

2. É mentira que o Governo Federal criou o programa “Voto em Casa”

Atenção! Não é possível se cadastrar em um site para votar em casa. As mensagens com essa mentira oferecem um link que coloca em risco sua segurança. Ao preencher o cadastro, os dados, como o CPF, podem ser enviados a criminosos para aplicar golpes.

3. É mentira que o uso de máscaras tornará a Eleição mais complicada
Um vídeo circula com essa afirmação. Contudo, a máscara em nada muda o processo. Ela será obrigatória para evitar o contágio pelo coronavírus. É aconselhável já ir usando a sua ao sair de casa, mas máscaras extras serão disponibilizadas nas seções, segundo o TSE.

4. É mentira que pessoas com mais de 60 anos terão horário exclusivo
O horário das 7h às 10h é preferencial para esse grupo. Menores de 60 anos poderão comparecer, tendo que aguardar ao final da fila ou em fila separada, para que os idosos votem antes. O TSE, portanto, apenas recomenda que menores de 60 anos evitem o horário.

5. É mentira que as urnas eletrônicas não podem ser auditadas

As urnas são auditadas durante a votação e dados ficam registrados para uma eventual nova auditoria. Entre os participantes da auditoria estão o TSE, a Ordem dos Advogados do Brasil, o Ministério Público, representantes de partidos, cidadãos interessados e uma empresa terceirizada.

6. É mentira que a urna eletrônica não permite recontagem de votos no Brasil
A recontagem de votos pode ser requisitada por qualquer partido. O cidadão também pode conferir os números somando os boletins de urna e verificando se batem com os registros do TSE.

7. É mentira que as urnas eletrônicas são fabricadas na Venezuela

Nossas urnas nunca foram fabricadas lá. Desde 1999 são feitas nos Estados Unidos, com tecnologia brasileira, pela empresa Diebold, por meio de licitação. Para as eleições de 2022, a fabricante será a brasileira Positivo Tecnologia.