O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou na terça-feira, 28, que a Operação Lava Jato é uma “caixa de segredos”.

As declarações foram feitas durante uma webconferência com o tema “Os desafios da PGR em Tempos de Pandemia”, promovida pelo grupo Prerrogativas.

“Não se pode imaginar que uma unidade institucional se faça com segredos, com caixas de segredos”, disse Aras.

“Em todo o MPF (Ministério Público Federal) no seu sistema único tem 40 terabytes. Para o funcionamento do seu sistema, a força-tarefa de Curitiba tem 350 terabytes e 38 mil pessoas com seus dados depositados, que ninguém sabe como foram escolhidos”, observou.

Ao abordar a proposta de criação da Unidade Nacional de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Unac) em debate do Ministério Público Federal, o procurador-geral declarou que foram apontados 50 mil documentos invisíveis à corregedoria.

Além disso, Aras disse que a PGR não tem acesso aos processos, avaliando como “incompatível”.

Fonte: A Tarde