Pesquisa Datafolha mostra crescimento de Boulos, França e Tato e revela que disputa final pode ser entre Covas e uma aliança de centro-esquerda.

RBA – O atual prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), ultrapassou Celso Russomanno (Republicanos) na disputa eleitoral, segundo pesquisa do Datafolha divulgada no início da noite desta quinta-feira (22). Mas a situação configura empate técnico: Covas agora tem 23% e o deputado, que perdeu sete pontos, está com 20%.

Quem também mostra tendência de crescimento é Guilherme Boulos (Psol), que foi para 14%, em terceiro lugar. Márcio França está perto, em novo possível empate técnico, com 10%. Jilmar Tato (PT) subiu de 1% para 4%, Mamãe Falei (Patriotas) tem 4%, Joice Hasselmann (PSL), 3%. Andrea Matarazzo (PSD), 2%. Com 1%, estão Levy Fidelix (PRTB), Marina Helou (Rede), Orlando Silva (PCdoB) e Vera Lúcia (PSTU). Antonio Carlos Silva (PCO) e Filipe Sabará (que acaba de ser expulso do Novo) não atingiram 1%. Outros 13% responderam nenhum, branco ou nulo. E 3% não sabem.

A pesquisa espontânea (em que nenhum nome é apresentado ao entrevistado) mostra três candidatos praticamente empatados: Covas (13%), Russomanno e Boulos (11% cada). França tem 5%.

Derretimento

O derretimento de Celso Russomanno  (Republicanos) e o aumento de sua rejeição, mostrados pelo Datafolha em pesquisa divulgada nesta quinta-feira (22), eram previstos por analistas e apareceriam na medida em que o apoio do presidente Jair Bolsonaro ao candidato fosse se tornando claro para a opinião pública.

 Russomanno caiu de 27% para 20% desde a última pesquisa (8 de outubro), antes da propaganda de rádio e TV. E sua rejeição cresceu impressionantes 17 pontos percentuais em um mês. Foi de 29% para 38% desde a pesquisa anterior, mas era de apenas 21% na penúltima.

Em 25 de setembro, o mesmo instituto de pesquisa apontava que 64% dos eleitores da capital paulista não votariam em um candidato apoiado por Bolsonaro em hipótese nenhuma. Apenas 11% (um em cada dez eleitores) votariam no indicado pelo presidente.

“Com certeza, a divulgação do apoio de Bolsonaro tem um peso no crescimento da rejeição de Russomanno”, disse Alessandro Janoni, diretor de Pesquisas do Datafolha, em entrevista ao canal de TV por assinatura Globo News, após a divulgação do levantamento desta quinta.

Segundo ele, o presidente é reprovado na capital paulista “principalmente em razão do seu desempenho no combate à pandemia e não necessariamente é um cabo eleitoral com muita fluência”.